terça-feira, 31 de maio de 2011

Celular pode provocar câncer, segundo OMS

 Celular pode provocar
câncer, segundo OMS 
Depois de revistar os detalhes de uma série de estudos publicados, um painel internacional de especialistas concluiu que telefones celulares podem ser cancerígenos para os seres humanos. O comunicado do grupo foi divulgado hoje em Lyon, França, pela Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer após uma semana na qual os especialistas ficaram reunidos. 
Eles revisaram as possíveis ligações entre câncer e o tipo de radiação eletromagnética encontrada em telefones celulares, micro-ondas e radares. A agência é o braço para o estudo do câncer da Organização Mundial da Saúde (OMS). As conclusões do grupo serão enviadas para a OMS e para agências nacionais de saúde e podem servir como guia para o uso de telefones celulares. 
O grupo classificou os telefones celulares na categoria 2B, o que significa que são possivelmente cancerígenos para humanos. Outras substâncias nesta mesma categoria são o pesticida DDT e o gás expelido por motores movidos a gasolina. 
No ano passado, os resultados de um grande estudo não mostraram ligação clara entre telefones celulares e câncer. Mas alguns grupos afirmam que o estudo levantou sérias preocupações, porque mostrou uma sugestão de uma possível ligação entre uso prolongado de telefone celular e o glioma, um tumor de cérebro raro, mas geralmente mortal. No entanto, os números desse subgrupo não foram suficientes para formar um caso de estudo. 
O estudo foi controverso porque começou com pessoas que já tinham câncer. Foi perguntado a elas com que frequência usavam seus telefones celulares mais de uma década atrás. Em outros cerca de 30 estudos feitos na Europa, Nova Zelândia e nos Estados Unidos, pacientes com tumores cerebrais não relataram o uso de seus celulares com mais frequência do que pessoas sem a doença.
Comparação 
Como o uso de celulares é muito popular, pode ser impossível para os especialistas comparar usuários do aparelho que desenvolveram tumores cerebrais com pessoas que não usam o celular. De acordo com uma pesquisa realizada no ano passado, o número de assinantes de telefonia celular em todo o mundo havia atingido 5 bilhões, ou quase três quartos da população de todo o planeta. 
Os hábitos de uso do aparelho também mudaram muito desde que os primeiros estudos tiveram início anos atrás e não está claro se os resultados de pesquisas anteriores ainda se aplicam atualmente. Tendo em vista que muitos tumores cancerígenos levam décadas para se desenvolver, os especialistas dizem que é impossível concluir que celulares não representam riscos para a saúde no longo prazo. 
Os estudos realizados até agora não acompanharam pessoas por mais de uma década. Os aparelhos enviam sinais para torres próximas por meio de ondas de rádio, uma forma de energia semelhante às ondas de rádio FM e às de micro-ondas. Mas a radiação produzida pelos celulares não pode danificar diretamente o DNA e é diferente de tipos mais fortes de radiação, como o raio X ou luz ultravioleta. 
Em níveis muito altos, ondas de rádio de telefones celulares podem aquecer o tecido do corpo, mas não acredita-se que possa danificar células humanas. Segundo o Instituto de Pesquisa sobre Câncer da Grã-Bretanha, o único risco à saúde realmente ligado aos celulares é o alto risco de acidentes de carro. O grupo recomenda que crianças abaixo dos 16 anos usem celulares apenas para ligações essenciais porque seus cérebros e sistemas nervosos ainda estão em desenvolvimento.
 Um estudo recente do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos mostrou que o uso do telefone celular pode acelerar a atividade cerebral, mas não se sabe se há efeitos perigosos para a saúde.
As informações são da Associated Press
Fonte: REDE Os Verdes/via Paraná OnLine

Germany to scrap nuclear power by 2022

 
 Germany to scrap nuclear 
power by 2022
BERLIN (AFP) - Germany on Monday became the first major industrialised power to agree an end to nuclear power in the wake of the disaster in Japan, with a phase-out to be completed by 2022. 
Chancellor Angela Merkel said the decision, hammered out by her centre-right coalition overnight, marked the start of a "fundamental" rethink of energy policy in the world's number four economy. 
"We want the electricity of the future to be safer and at the same time reliable and affordable," Merkel told reporters as she accepted the findings of an expert commission on nuclear power she appointed in March in response to the crisis at Japan's Fukushima plant. 
"That means we must have a new approach to the supply network, energy efficiency, renewable energy and also long-term monitoring of the process," said Merkel, whose popularity had suffered over her previous pro-nuclear stance. 
The commission found that it would be viable within a decade for Germany to mothball all 17 of its nuclear reactors, eight of which are currently off the electricity grid. 
Environment Minister Norbert Roettgen announced the gradual shutdown early Monday after seven hours of negotiations at Merkel's offices between the ruling coalition partners. He said the decision was "irreversible". 
Seven of the reactors already offline are the country's oldest, which the government shut down for three months pending a safety probe after the Fukushima emergency. 
The eighth is the Kruemmel plant, in northern Germany, which has been offline for years due to repeated technical problems. 
Six further reactors are to be shut down by the end of 2021 and the three most modern would stop operating by the end of 2022. 
Monday's decision, which could run into legal challenges from energy companies, means Germany will have to find the 22 per cent of its electricity needs that were covered by nuclear power from other sources. 
Roettgen insisted there was no danger of blackouts. 
"We assure that the electricity supply will be ensured at all times and for all users," he pledged. 
The government must now determine how it can make up the difference with renewable energy sources, natural gas and coal-fired plants. 
Merkel's spokesman Steffen Seibert said the plan would uphold four priorities: Germany's standing as a top global economy, an affordable and sufficient energy supply, climate protection and independence from energy imports. 
The decision is effectively a return to the timetable set by a previous Social Democrat-Green coalition government a decade ago. 
It is a humbling U-turn for Merkel, who at the end of 2010 decided to extend the lifetime of the reactors by an average of 12 years, which would have kept them open until the mid-2030s. 
That decision was unpopular even before the earthquake and tsunami in March that severely damaged the Fukushima facility, sparking mass anti-nuclear protests in Germany. 
Merkel's zigzagging on what has been a highly emotive issue in the country since the 1970s cost her in recent state elections as the anti-nuclear Greens gained ground. 
Nuclear opponents slammed the deal Monday and said they would stage fresh demonstrations next month calling for a faster phaseout. 
Meanwhile, industrial giant Daimler warned the shutdown would undermine the competitiveness of Europe's top economy. 
"Turning our backs on an affordable energy supply is clearly a risk," chief executive Dieter Zetschke told the daily Bild, adding that he saw the decision as "strongly coloured by emotions". 
The Fukushima accident has sparked a renewed global debate about the safety of nuclear power, with opinions differing widely. 
Sweden's environment minister criticised Germany's decision, saying it would lead to a disjointed energy policy that failed to adequately address climate change. 
The United States and Britain have announced plans to build new reactors as an alternative to producing harmful greenhouse gas emissions while ensuring a relatively cheap supply of energy. 
Italy scrapped nuclear power in 1987, one year after the Chernobyl disaster, while neighbouring Switzerland said last week it would phase out atomic energy by 2034. 
Fonte: REDE Os Verdes/via Jordan Times

Semana do Meio Ambiente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia em Porto Alegre - 6 a 10 de junho

Maiores Informações > Click Aqui
Fonte: REDE Os Verdes/via e-mail

segunda-feira, 30 de maio de 2011

CGU contesta ligação de Palocci com equipe de transição em 2010

 CGU contesta ligação de Palocci com equipe de transição em 2010
Apesar de ministro ter sido coordenador da equipe de transição de Dilma, não houve nomeação em Diário Oficial, o que, segundo a Controladoria-Geral da União, desqualifica investigação
BRASÍLIA - A Controladoria-Geral da União (CGU) negou nesta segunda-feira, 30/05, que Antonio Palocci tenha participado da equipe de transição do governo Dilma Rousseff para reafirmar que não investigará o crescimento do patrimônio do ministro-chefe da Casa Civil, conforme noticiado pelo Estado nesta segunda. 
A CGU apegou-se ao fato de a nomeação para coordenar a equipe de transição não ter sido publicada no Diário Oficial para, assim, não seguir orientação do decreto editado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2005 e abrir sindicância patrimonial para apurar se o aumento dos bens é compatível com a renda de Palocci. 
O ministro foi indicado coordenador do governo de transição em 30 de outubro de 2010. A partir de novembro, passou a despachar no Centro Cultural do Banco do Brasil e na casa da presidente eleita. Mas, formalmente, não era considerado um "agente público", alega a Controladoria. 
A CGU contestou a reportagem do Estado. "Ao contrário do informado, no dia 3 de dezembro de 2010, o então deputado federal Antonio Palocci foi anunciado como futuro ministro-chefe da Casa Civil, não tendo sido nomeado para integrar o quadro da equipe de transição". 
Ao insistir em que não tem competência para investigar o ministro, a CGU afirma, em nota, que Palocci já é investigado pela Procuradoria Geral da República. Diferentemente do que diz a nota da CGU, a PGR, por ora, não investiga Palocci. 
Fonte: Estadão

Al menos 43 heridos al cargar la Policía contra los acampados en Barcelona

  
Un momento de la carga policial. (Josep LAGO/AFP)
Al menos 43 heridos al cargar la Policía contra los acampados en Barcelona
Los Mossos d'Esquadra y la Guardia Urbana han cargado contra los acampados en la plaza Catalunya de Barcelona, tras instarles a que abandonaran el lugar temporalmente para que las brigadas limpien la zona ante la celebración de la final de la Liga de Campeones. 43 personas han resultado heridas.


BARCELONA-. El desalojo y la carga policial se han producido después de que los Mossos d'Esquadra instaran a los cerca de 400 acampados en la plaza Catalunya a que abandonaran el lugar temporalmente para facilitar las tareas de limpieza y la retirada de objetos susceptibles de ser utilizados en caso de que se produzcan mañana disturbios tras la final de la Liga de Campeones, entre el Barça y el Manchester. 
Los "indignados" se han sentado en medio de la plaza y se han negado a abandonar el lugar. Algunos han intentado impedir que los camiones de limpieza cargados con sus pertenencias salieran de la zona, por lo que los Mossos y la Guardia Urbana han cargado a porrazos contra un grupo.
Posteriormente, los Mossos han cargado también contra un grupo de apoyo a los acampados que se ha sentado en la confluencia de Paseo de Gracia con la plaza Catalunya, a los que han dispersado disparando salvas y a porrazos. 
Al menos una persona ha resultado detenida en este nuevo enfrentamiento, según la agencia Efe. 
43 heridos
Al menos 43 personas han resultado heridas de carácter leve, según fuentes del Sistema de Emergencias Médicas (SEM).
Los atendidos presentan en su mayoría contusiones aunque también algunas heridas abiertas y entre ellos figura un mosso d'esquadra.
De los 43 heridos, cinco de ellos han sido trasladados al Hospital Clínico de Barcelona y al centro de atención primaria de la calle Manso para recibir las curas necesarias. 
Más de medio centenar de furgonetas y decenas de agentes de los Mossos y de la Guardia Urbana se han apostado desde primera hora de la mañana en la plaza y sus inmediaciones, y han formado un cordón que ha aislado a los acampados en el centro de la plaza y que impedía entrar en el área, según explica Efe.
Las brigadas de limpieza han desmontado las carpas, toldos, carteles y pancartas instaladas en el lugar, además de llevarse algunos objetos personales, como colchones, ordenadores, mesas, hornillos, sillas y hasta los altavoces de los concentrados. 
Una vez que han desmontado el campamento y han retirado el material que consideraban potencialmente "peligroso", el cordón policial que rodeaba la plaza se ha retirado y ha permitido acceder al millar de personas que se habían concentrado para apoyar a los "indignados".
El portavoz de la Generalitat, Francesc Homs, ha asegurado que los acampados podrán quedarse y continuar con su acto de protesta pero ha justificado la actuación de los Mossos para permitir que las brigadas limpiaran la zona por "seguridad y orden público".
En Lleida también se han producido momentos de tensión tras resistirse los acampados en la plaza Ricard Viñes a ser desalojados por el mismo motivo. Al menos dos personas han sido detenidas.
Fonte: REDE Os Verdes/via Los Verdes de España

Contabilizando o belo por Ana Echevenguá

 Contabilizando o belo
Por Ana Echevenguá
Costumo caminhar pela praia, olhando pra areia. Pro chão. E vou contabilizando o lixo, o despejo dos resíduos, as pegadas e cocô de cachorro... enfim, presto atenção no tratamento que os ‘meus iguais’ dispensam à beira-mar. 
Outro dia, estava tão absorta nessa ‘contabilidade’ que, quando olhei pro meu lado esquerdo e vi o mar, tomei um susto. Isso: um susto! 
Impactou-me o azul do céu e o dourado-prateado dos raios de sol refletindo nas águas, o branco das ondas, os morros verdejantes no horizonte, o vôo das gaivotas... Tanta beleza- ali, do meu lado... tão próxima – e eu olhando pro lixo do chão, brigando mentalmente com os usuários da praia, com a ineficiência da fiscalização dos órgãos públicos...!!! 
Respirei fundo para melhor usufruir daquele momento, daquela beleza ímpar, gratificante e gratuita. Troquei meu ‘parceiro de caminhada’: a visão da paisagem ao meu lado era melhor do que a do solo em que eu pisava. 
Decidi escrever a respeito. Contar às pessoas que eu me senti melhor ao trocar o meu foco. E que isso pode ser levado para o cotidiano. 
Vou aprender a contabilizar o belo! Rapidinho!! Como bem canta Milton Nascimento, em “Outro Lugar”: “... O céu já tá estrelado e tá cansado de zelar pelo meu bem. Vem logo que esse trem já tá na hora, tá na hora de partir...”. 
Tudo o que nos cerca tem alguma porção de lixo. Mas tem – em maior quantidade - algo de belo e bom e positivo a ser respeitado, admirado, absorvido... É só querer enxergar!
Fonte: REDE Os Verdes/via ECO & AÇÃO

Movimento em Defesa da Orla pede precaução ao Governo do RS em relação Projeto Cais do Porto

Movimento em Defesa da Orla pede precaução ao Governo do RS em relação Projeto Cais do Porto
Revitalização do Cais e aproximação da população com o Guaíba são defendidas pelo grupo
A coordenação do Movimento em Defesa da Orla do Rio Guaíba esteve reunida com o chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Carlos Pestana, para tratar do Projeto de Revitalização do Cais do Porto. A audiência foi realizada no final da tarde desta quinta-feira, dia 26 de maio, junto ao gabinete do secretário, no Palácio Piratini, e teve a participação da presidenta da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Sofia Cavedon (PT).
Ao final do encontro, Pestana solicitou alguns dias para analisar as propostas e reivindicações do Movimento, que pede acesso ao projeto. "Queremos conhecer o projeto, pois nos preocupam os impactos que possa provocar na mobilidade urbana e ao patrimônio histórico e cultural de nossa cidade", afirma Anadir Alba, integrante do Movimento e coordenadora da Região de Planejamento R7, situada nos bairros Assunção, Ipanema e Pedra Redonda. 
De acordo com o documento entregue a Pestana, o princípio da precaução é consideração principal do Movimento, em especial quanto à mobilidade urbana, cujos efeitos sobre a cidade serão desastrosos, "já que são pensadas cinco mil vagas de estacionamento dentro do Cais do Porto, que serão trazidos a circular no centro histórico da cidade". 
Para os representantes do Movimento, o Projeto do Cais deve ser integrado ao Centro Histórico da cidade e permitir a inclusão do Museu das Águas. "A estrutura comercial no centro histórico, carente de revitalização, condena prédios hoje subutilizados ao inteiro sucateamento, criando dois ambientes, um cheio de luzes e outro relegado ao abandono", compara o documento. Eduíno de Mattos destaca que o Projeto do Cais não se relaciona com o Iphan, que recupera a Praça da Alfândega. "Isso é um absurdo", questiona. 
Ao mesmo tempo que solicita cautela ao analisar as reivindicações ao Projeto do Cais, os coordenadores do Movimento em Defesa da Orla pedem a reabertura da discussão com a sociedade. "Queremos a revitalização, desde que esta não implique em distorções do crescimento urbano, comprometendo a estrutura histórica da nossa capital", afirma Sylvio Nogueira, da Associação dos Moradores do Centro, ao defender ainda esclarecimentos sobre o processo de licitação das obras do Cais. 
"Nosso objetivo com esse documento, que chama a atenção para os impactos ambientais, sociais, culturais e de estrutura da cidade, é qualificar a opinião do Governo do Estado", finaliza Milton Cruz, que também é coordenador do Comitê Multidisciplinar do Museu das Águas, que integra o Movimento em Defesa da Orla do Rio Guaíba. 
Fonte Informações: Jornalista Adriane Bertoglio Rodrigues
Fonte: REDE Os Verdes/via Solidariedade

1º Encontro de Blogueir@s e Tuiteir@s do RS: Internautas debatem seu papel na sociedade e recebem promessa de apoio do governo

 Internautas debatem seu papel na sociedade e recebem promessa de apoio do governo

Centenas de blogueiros e tuiteiros gaúchos, reunidos de 27 a 29 de maio em Porto Alegre, debateram o papel dos internautas na sociedade e na política, em contraste com a grande mídia. Sucesso de participação do público – atingindo a meta de reunir pelo menos 200 autores de blogs e ativistas das redes sociais digitais na Câmara Municipal de Porto Alegre – o Encontro foi uma decorrência do primeiro encontro nacional (em São Paulo, em 2010)  que reuniu mais de 300 blogueiros “progressistas”.
O adjetivo identifica a posição política dos participantes, críticos do poder econômico determina as pautas da grande mídia (que se evidencia, por exemplo, no enfoque favorável ao agronegócio nas notícias sobre o código florestal).
Debates 
Os palestrantes tiveram debates intensos sobre a internet como instrumento para a democratização da comunicação e as políticas públicas para os meios digitais. Marco Weissheimer propôs que os internautas prossigam mobilizados e articulados através de uma Assembléia Permanente, com reuniões semanais, para dar seguimento a estas questões cruciais para a sociedade. 
O blog Os Verdes de Tapes, coordenado por Júlio Wandam, foi representado por Montserrat Martins, que ressaltou a falta de notícias na grande mídia sobre o assassinato de ambientalistas, bem como o modo como está sendo tratado o código florestal, chegando a ser incluído na seção “dinheiro” da grande mídia. Em adendo à proposta de Weissheimer – e com o objetivo de atingir camadas ainda mais amplas da população – Montserrat propôs ainda a realização de um Festival anual para reunir as principais matérias debatidas pelos blogueiros e tuiteiros, dentre as que se diferenciem da pauta da mídia hegemônica. Os debates do 1º Encontro de Blogueir@s e Tuiteir@s do RS também serão levadas ao II Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, em junho, em Brasília. 
Reconhecimento do governo gaúcho 
O governo gaúcho se fez representar no evento e prometeu reconhecer e valorizar o papel social dos internautas, através da Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital (Secom). Segundo informou Cláudia Cardoso — Diretora de Políticas Públicas da Secom – todos os interessados poderão se cadastrar e serão informados sobre os critérios para anúncios. O contato para o cadastramento deve ser feito pelo email cadastro@secom.rs.gov.br. A informação de Cláudia Cardoso confirma o que já havia sido noticiado sobre a democratização dos anúncios institucionais do governo. 
Leia mais sobre o encontro > 

Marina: Código Florestal aumentará insegurança para ambientalistas

Marina durante reunião do seu partido, o PV - Foto: Ivan Pacheco/Terra
Marina: Código Florestal aumentará insegurança para ambientalistas
Por Daniel Favero 
Para a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PV), a aprovação do Código Florestal, ocorrida nesta semana no Congresso, está relacionada com o aumento da insegurança para ambientalistas que enfrentam madeireiros e fazendeiros na floresta Amazônica. No começo da semana, o extrativista José Claudio Ribeiro da Silva e sua mulher, Maria do Espírito Santo da Silva, foram assassinados na cidade paraense de Nova Ipixuna. O ativista já havia dito que era alvo de frequentes ameaças após denunciar a exploração ilegal de madeira em reservas.


"Com a aprovação do relatório do deputado Aldo (Rebelo - PCdoB), sequer a lei vai estar a favor dessas pessoas", disse Marina em entrevista ao Terra. O relatório de Rebelo isenta pequenas propriedades, de até 4 módulos fiscais (medida que varia de 20 a 400 hectares), a recuperar a Reserva Legal.
Para Marina, com a aprovação do código ocorrerá uma inversão de valores na preservação da floresta. "Outra coisa é os ilegais serem transformados em legais, e vão agir em defesa do legitimo direito que eles adquiriram de desmatar".
Ela critica a postura do governo quando diz que o Executivo mobiliza sua ampla base em defesa de projetos como o pré-sal e salário mínimo, mas deixa de lado a questão ambiental. "Na questão ambiental, desde a época do presidente Lula, estranhamente, a base se rebela sempre contrária à posição do governo". Confira os principais trechos da entrevista concedida ao Terra:
Terra - A senhora conhecia o casal assassinado, ou conhecia o trabalho que eles desenvolviam?
Marina Silva - O que eu conhecia é que eles eram lideranças comunitárias em um projeto de assentamento extrativista, que fica a 60 km de Nova Ipixuna. Ele era uma ativista que, inclusive, falou que estava sendo ameaçado de morte. Deixou bem claro que seria a próxima irmã Dorothy (missionária americana morta em 2005 em função do conflito agrário do Pará) na luta em defesa das reservas comunidades.
Terra - As regiões do sul e do sudeste do Pará são conhecidas pelos conflitos entre madeiros, garimpeiros, fazendeiros e índios. A senhora acredita que mudou muita coisa desde as décadas de 80 e 90?
Marina Silva - Infelizmente mudou muito pouco. O que mudou foi que uma parte daquelas terras foram destinadas para a criação de reservas extrativistas. Em 95, 96, quando eu cheguei ao Senado, era impossível pensar que aquelas terras poderiam ser demarcadas...
A pressão continua sobre as reservas para a exploração irregular de madeira...
Continua sendo uma região muito violenta com ausência do Estado para dar segurança a essas comunidades, mas pelos menos mais anteriormente, nós tínhamos ao nosso lado, pelo menos, as pessoas que defendiam as reservas e as áreas florestadas.
Agora, com a aprovação do relatório do deputado Aldo, sequer a lei vai estar a favor dessas pessoas. Essa questão que para mim está muito difícil de elaborar, porque uma coisa era, ainda que com todas as dificuldades e ameaças, ter ao seu lado a força da lei. Outra coisa é os ilegais serem transformados em legais, e vão agir em defesa do legitimo direito que eles adquiriram de desmatar.
E isso é muito difícil, porque de Chico Mendes (líder seringueiro assassinado em 1988) a padre Josimo (morto no Maranhão em 1986), de Padre Josimo a irmã Dorothy, de irmã Dorothy a José Claudio e Maria... e tantos que já morreram em função dessa luta de defesa à floresta.
Terra - Os madeiros e os fazendeiros, pelo menos os que sempre agiram na ilegalidade naquela região, ainda têm muita força no Norte do País?
Marina Silva - No Acre, essa situação desde que o Jorge Viana (PT) ganhou o governo foi sendo debelada. Graças a Deus, lá já não temos mais os conflitos violentos que tivemos na década de 80 e final da década de 70. Mas em vários rincões do Brasil isso ainda acontece de uma forma dramática, e o Estado do Pará, infelizmente liderando esse ranking tenebroso de assassinatos e ameaças a lideranças comunitárias e trabalhadores rurais. Sendo que agora, eu repito, não há mais a lei para proteger essas comunidades.
Terra - A senhora já chegou a receber alguma ameaça?
Marina Silva - Não, graças a Deus nunca recebi nenhuma ameaça.
Terra - Os governos usam o slogan "Amazônia" para mobilizar recursos para a região com foco no desenvolvimento sustentável. O que existe de concreto para as comunidades que sobrevivem dos recursos extraídos da floresta de forma sustentável?
Marina Silva - O apoio para a implementação dessas reservas ainda é muito aquém das necessidades que elas têm. O modelo predatório, há 400 anos vem sendo financiado, e recebe todo o apoio de todos os governos em todos os momentos da história. A ideia de um modelo que integre o desenvolvimento da floresta, isso é muito recente, data desde quando o Chico Mendes levantou essa bandeira, e nunca contou com o suporte necessário, ainda que conquistas tenham sido alcançadas para, de fato, mostrar que a floresta de pé é mais rentável do que transformada em pasto, rendendo uma cabeça de gado por hectare.
Terra - Existe muita diferença entre a política aplicada por Lula e agora pela Dilma em relação ao meio ambiente? E como a senhora interpreta a posição do Legislativo para a questão?
Marina Silva - Em termos da Câmara dos Deputados não preciso falar mais nada, é só ver o Código Florestal que foi aprovado, deixou de ser um Código Florestal para ser um código agrário. Como disse o (ex-)ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, saiu-se da regra de proteção das florestas para a exceção. A regra será desmatar e a exceção proteger....
Em relação a Dilma, sabemos que é um governo de continuidade e que ela assumiu o compromisso público, no segundo turno, respondendo uma séria de questões que eu havia apresentado, entre elas a do desmatamento e do Código Florestal, e ela respondeu que era contra qualquer ação que representasse qualquer anistia para desmatadores, e aumento de desmatamento, e reiterou esse compromisso na reunião que tivemos com ela com os outros ex-ministros.
Espero que agora ela possa trabalhar com sua base, que é uma base folgada, com 70% dos deputados da base do governo - no Senado é mais ampla até - que o governo trabalhe para que a base atue pelas posições da presidente. Porque eu sinto que quando se trata do pré-sal, do salário mínio e de outras questões de interesse do governo existe um trabalho para que a base seja fiel as propostas do governo. Na questão ambiental, desde a época do presidente Lula, estranhamente a base se revela sempre contrária à posição do governo.
Fonte: REDE Os Verdes de Porto Alegre

domingo, 29 de maio de 2011

Belo Monte, anúncio de uma Guerra por André Vilela D'Elia

Morta testemunha no caso de assassinato de extrativistas

Mais uma vítima é calada no Pará. Será que o Governo vai investigar este também?
 Morta testemunha no caso de assassinato de extrativistas
Por Felipe Milanez - Sul do Pará
Foi encontrado neste sábado (28/05), morto em um matagal, Erenilton Pereira dos Santos, integrante do assentamento Praialta-Piranheira, o memo onde vivia o casal José Claudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo, executados na última terça-feira (24/05), em Nova Ipixuna, sul do Pará. O corpo estava a sete quilômetros do assentamento e a cerca de 100 metros da estrada. Erenilton é testemunha do caso do homicidio de José e Maria.
Ele viu uma moto Bros vermelha sair do assentamento. A mesma moto foi flagrada por outra testemunha entrando no local, minutos antes do crime.
Dois dias após o duplo homicídio, Erenilton foi comprar peixe em Porto Barroso, no lago Tucuruí. Ele seguiu na mesma direção em que os motoqueiros suspeitos do assassinato do casal haviam tomado. Desde então, não deu mais notícias. Como Erenilton era considerado desaparecido, neste sábado, 10 pessoas sairam a sua procura. Encontraram a moto da vítima na estrada, próxima ao corpo, que foi localizado, por volta das 10h, por equipe do Ibama e da Polícia Federal.
Segundo a Comissão Pastoral da Terra, Erenilton também morreu com um tiro na cabeça e a arma seria do mesmo calibre da utilizada na execução do casal de extrativistas Zé Cláudio e Maria.
A vítima, que praticamente nasceu no assentamento Praialta-Piranheira, era casado e tinha quatro filhos. A família da vítima está assustada e teme retaliações. As polícias Federal e Rodoviária Federal já se encontram no local. Instituto Médico Legal e Polícia Civil estão a caminho.
Fonte: REDE Os Verdes/via ASPAN

sábado, 28 de maio de 2011

Roda Viva entrevista Marina Silva nesta segunda 30 de maio

Marina Silva - Ex-senadora
O Roda Viva abre espaço nesta segunda-feira para debater a legislação ambiental brasileira
A discussão das últimas semanas sobre o novo Código Florestal Brasileiro deixou a sociedade em dúvida sobre o que é avanço e o que é retrocesso no delicado equilíbrio entre viver, preservar, matar e desmatar. 
Acreana de nascimento, Marina Silva foi senadora, ministra do Meio Ambiente e candidata à presidência na última eleição, em 2010. 
Participam como convidados entrevistadores:
Augusto Nunes, jornalista; Paulo Moreira Leite, jornalista; Mona Dorf, colunista do Portal IG e Eduardo Geraque, repórter de cotidiano do jornal Folha de S. Paulo. 
Apresentação: Marília Gabriela 
Transmissão simultânea pela Internet. 
O Roda Viva é apresentado às segundas a partir das 22h00.
Você pode assistir on-line acessando o site no horário do programa.
http://www2.tvcultura.com.br/rodaviva

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Morte de Ambientalistas no Brasil são "insolúveis" desde muito tempo...

 Será que o Governo do Brasil está preocupado com mortes e investigações "insolúveis"  na captura dos mandantes dos crimes contra estes brasileiros e ambientalistas assassinados desde 2005?

AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS:
Dorothy Stang - Pará/PA 2005 - Foi assassinada, com seis tiros, um na cabeça e cinco ao redor do corpo, aos 73 anos, no dia 12 de fevereiro de 2005, em uma estrada de terra à 53 quilômetros da sede do município de Anapu, no Estado do Pará. Segundo testemunha, antes de receber os disparos ao ser indagada se estava armada, Ir. Dorothy afirmou «eis a minha arma!» e mostrou a Bíblia.

AMBIENTALISTA ASSASSINADOS:
Dionísio Júlio Ribeiro - Rio de Janeiro/RJ - 2005 - Morto com um tiro de escopeta na cabeça, em Nova Iguaçu por denunciar os responsáveis pela extração ilegal de palmito, caçadores e pessoas interessadas em construir dentro da área da reserva do Tinguá, no Rio de Janeiro.

AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS:
Francisco Anselmo de Barros - Mato Grosso do Sul/MS 2005 - Francelmo, trocou sua vida pela salvação do Pantanal. O ambientalista ateou fogo em seu próprio corpo em 12 de novembro de 2005, no final da manifestação contra as usinas de álcool no Pantanal, realizada no centro de Campo Grande, MS. Com o corpo todo queimado o mártir do Pantanal morreu na manhã do dia 13 de novembro de 2005.
 
AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS:
Antônio Conceição Reis - Bahia/BA 2009 - morto a tiros, presidente do Grupo Ecológico Nativos de Itapuã. Ele estava em casa, na rua Guararapi, no bairro de Itapuã, quando quatro homens dispararam vários tiros contra ele. O corpo do ambientalista foi levado pelos criminosos no porta-malas de um veículo. Foi encontrado em Camacari, região metropolitana de Salvador o corpo carbonizado.
 
AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS:
Paulo César Santos Sousa - Rio de Janeiro/RJ 2009 - Em 22 de maio de 2009, o pescador Paulo César Santos de Sousa, da Associação dos Homens do Mar (AHOMAR), foi assassinado com três tiros no rosto e dois na nuca.
Paulo disse que corria risco de vida porque estava atrapalhando a obra da Petrobrás, Oceânica e GDK para instalação de dois dutos para transporte de gás liquefeito da Petrobrás. 

AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS: 
José Maria Filho (Zé Maria) - Ceará/CE 2010 - Líder Comunitário em Limoeiro do Norte. Morto com 25 tiros por denunciar a contaminação da água que a população consumia e estava com altos níves de agrotóxicos na região de Jaguaribe/Apodi no Ceará. Assassinado em 25 de abril de 2010. A Polícia não conclui o inquérito e nenhum dos criminosos foram presos.

AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS:
Flautilde Filgueira (Tide) - Bahia/BA 2010 - Morto em Vitória da Conquista, foi assassinado com tiros de revólver no final da noite de 27 de agosto de 2010, no alto da serra do Periperi, zona norte cidade. Tide realizava um importante trabalho à frente da ONG Florestas Urbanas.

AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS:
Jorge Roberto Carvalho Grando, Antonio Grando, Gilmar Reinert, Valdir Vicente Lopes e Albino Silva - Paraná/PR 2011 - Mortos cinco pessoas, três deles ambientalistas no Paraná, em uma casa de Jorge Grando. Os corpos estavam com as mãos amarradas e tinham marcas de tiros na nuca e nos olhos. Protegiam nascentes do Rio Iguaçu e mananciais de Piraquara no Paraná.

AMBIENTALISTAS ASSASSINADOS: 
José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo - Pará/PA 2011 - Líder agroextrativista e ambientalista, conhecido como Zé da Castanha, e a mulher e também ativista da terra, mortos durante Emboscada no interior do Projeto de Assentamento Extrativista (PAE) Praia Alta Pinhanheira, no município de Nova Ipixuna, no Pará, um dos últimos locais de extração da castanha do Pará. 

AMBIENTALISTAS AMEAÇADOS DE MORTE:
Vilmar Berna - Rio de Janeiro/RJ - Atuante em Niterói o jornalista vem recebendo ameaças de morte. As ameaças partiriam de pessoas incomodadas pela presença do ambientalista na comunidade do Cascarejo, na enseada de Jurujuba (Niterói, cidade a 15 km do Rio). O local convive hoje com pesca e criadouros clandestinos, favelização, poluição por esgotos e dejetos industriais e tráfico de drogas.

AMBIENTALISTAS AMEAÇADOS DE MORTE:
Telma Lobão - Bahia/BA - Continuam tentando assassinar a ambientalista baiana, que solicita proteção e não é atendida pelas autoridades e políticos. Tentativas de sequestro já foram tentadas contra ela, por denunciar irregularidades relacionadas aos empreendimentos que estão burlando as fiscalizações ambientais e sanitárias em Conceição na Bahia.
Fonte: REDE Os Verdes/pesquisa na Internet
Aos amigos Leitores de nosso Blog:
Pedimos que caso tenha conhecimento sobre ameaças e mortes de ativistas ambientalistas em sua região ou Estado, informe nos Comentários a localização, data do ocorrido e os dados da pessoas ameaçada ou executada, ou se preferir envie e-mail para osverdes.rs@gmail.com

quarta-feira, 25 de maio de 2011

O Brasil de Luto por suas Florestas

O Brasil de Luto por suas Florestas
Mais uma vez os políticos brasileiros envergonham a Nação do Brasil perante o mundo, que está com medo com os efeitos desta decisão desastrosa dos representantes do Povo no Congresso. Até quando a impunidade será a vitoriosa? Até quando os criminosos que matam ambientalistas ficarão impunes? Até quando a Justiça Brasileira manterá o véu na Instituição que nada vê, nada ouve, nada faz para impedir os desastres previstos para o futuro?
A cada dia que assistimos estas insanidades, nos perguntamos, à quem recorrer num país de corrupção e desvios?

Canalhas do Congresso votam pela tragédia ambiental nas cidades

No Brasil a impunidade foi premiada, os desmatadores serão inocentados de seus crimes. Assim é o país do Pão e do Circo, quando a Nação Brasileira assiste mais uma Vergonha Nacional ser aprovada no Congresso Federal. Este políticos, todos eles criando leis em benefício próprio e de seus amigos, está levando o país ao desastre futuro, quando estes ficarão mais ricos as custas dos impostos e da ignorância do povo brasileiro.
Em um país rico como o nosso, Aves de Rapina em nome do capitalista irresponsável sugam nossas riquezas e lucram com nossa miséria. Chega de roubo a nação do Brasil, chega de envergonharam o país no mundo inteiro, com decisões que só vão aumentar as tragédias em todas as partes, em todas as cidades, em qualquer lugar.
Estes políticos representam os anseios dos criminosos e de exploradores de nosso país!

O Brasil da Falta de Vergonha!! O futuro está em Perigo!

 Dia de mortes na guerra do Brasil!
>> Morte de Ativista no Pará >> http://www.viomundo.com.br/denuncias/o-assassinato-de-jose-claudio-ribeiro-da-silva.html

Há muito que ele denunciava publicamente as ameaças de morte. Agora - morte consumada - vem ajuda de todo lado. Interessante estratégia de permitir a efetivação dos crimes e encenar a justiça...

Para refletirmos sobre 
os caminhos da nação

terça-feira, 24 de maio de 2011

Um dia para a Vergonha Nacional pela ação medonha dos Representantes da Moto-serra terem Aprovado um Código Anti-Ambiental - Veja quem foram os Deputados Federais de seu Estado que condenaram as florestas do Brasil ao desmate e a impunidade - Isto é uma Vergonha!!

 54a. LEGISLATURA
PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA
SESSÃO EXTRAORDINÁRIA Nº 123 - 24/05/2011

Abertura da sessão: 24/05/2011 20:01
Encerramento da sessão:
Proposição: PL Nº 1876/1999 - EMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL DE PLENÁRIO Nº 186 - Nominal Eletrônica
Início da votação: 24/05/2011 20:52
Encerramento da votação: 24/05/2011 21:09
Presidiram a Votação:
Marco Maia


Resultado da votação

Sim: 410
Não: 63
Abstenção: 1
Total da Votação: 474
Art. 17: 1
Total Quorum: 475
Obstrução: 1
Presidente da Casa: Marco Maia - PT /RS
Presidiram a Sessão: 
Marco Maia - 20:01
Orientação
PT: Sim
PMDB: Sim
PsbPtbPcdob: Sim
PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl: Sim
PSDB: Sim
DEM: Sim
PP: Sim
PDT: Sim
PvPps: Não
PSC: Sim
Repr.PMN: Sim
PSOL: Não
Minoria: Sim
GOV.: Sim

Parlamentar Partido Bloco Voto
Roraima (RR)
Berinho Bantim PSDB   Sim
Dr. Francisco Araújo PSL PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Edio Lopes PMDB   Sim
Jhonatan de Jesus PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Paulo Cesar Quartiero DEM   Sim
Raul Lima PP   Sim
Total Roraima: 6   
Amapá (AP)
Davi Alcolumbre DEM   Sim
Evandro Milhomen PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Fátima Pelaes PMDB   Sim
Luiz Carlos PSDB   Sim
Professora Marcivania PT   Não
Sebastião Bala Rocha PDT   Obstrução
Vinicius Gurgel PRTB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Total Amapá: 7   
Pará (PA)
André Dias PSDB   Sim
Arnaldo Jordy PPS PvPps Não
Beto Faro PT   Sim
Cláudio Puty PT   Não
Dudimar Paxiúba PSDB   Sim
Elcione Barbalho PMDB   Sim
Giovanni Queiroz PDT   Sim
José Priante PMDB   Sim
Josué Bengtson PTB PsbPtbPcdob Sim
Lira Maia DEM   Sim
Lúcio Vale PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Luiz Otávio PMDB   Sim
Miriquinho Batista PT   Sim
Wandenkolk Gonçalves PSDB   Sim
Wladimir Costa PMDB   Sim
Zé Geraldo PT   Sim
Zequinha Marinho PSC   Sim
Total Pará: 17   
Amazonas (AM)
Átila Lins PMDB   Sim
Carlos Souza PP   Sim
Francisco Praciano PT   Não
Henrique Oliveira PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Pauderney Avelino DEM   Sim
Rebecca Garcia PP   Sim
Sabino Castelo Branco PTB PsbPtbPcdob Sim
Silas Câmara PSC   Sim
Total Amazonas: 8   
Rondonia (RO)
Carlos Magno PP   Sim
Lindomar Garçon PV PvPps Não
Marinha Raupp PMDB   Sim
Mauro Nazif PSB PsbPtbPcdob Sim
Moreira Mendes PPS PvPps Sim
Natan Donadon PMDB   Sim
Nilton Capixaba PTB PsbPtbPcdob Sim
Padre Ton PT   Não
Total Rondonia: 8   
Acre (AC)
Antônia Lúcia PSC   Sim
Flaviano Melo PMDB   Sim
Gladson Cameli PP   Sim
Marcio Bittar PSDB   Sim
Perpétua Almeida PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Sibá Machado PT   Não
Taumaturgo Lima PT   Sim
Total Acre: 7   
Tocantins (TO)
Ângelo Agnolin PDT   Sim
César Halum PPS PvPps Sim
Irajá Abreu DEM   Sim
Júnior Coimbra PMDB   Sim
Laurez Moreira PSB PsbPtbPcdob Sim
Lázaro Botelho PP   Sim
Professora Dorinha Seabra Rezende DEM   Sim
Total Tocantins: 7   
Maranhão (MA)
Alberto Filho PMDB   Sim
Carlos Brandão PSDB   Sim
Domingos Dutra PT   Não
Edivaldo Holanda Junior PTC PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Francisco Escórcio PMDB   Sim
Gastão Vieira PMDB   Sim
Hélio Santos PSDB   Sim
Lourival Mendes PTdoB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Luciano Moreira PMDB   Sim
Pinto Itamaraty PSDB   Sim
Professor Setimo PMDB   Sim
Ribamar Alves PSB PsbPtbPcdob Sim
Sarney Filho PV PvPps Não
Waldir Maranhão PP   Sim
Total Maranhão: 14   
Ceará (CE)
André Figueiredo PDT   Sim
Aníbal Gomes PMDB   Sim
Antonio Balhmann PSB PsbPtbPcdob Sim
Ariosto Holanda PSB PsbPtbPcdob Sim
Arnon Bezerra PTB PsbPtbPcdob Sim
Artur Bruno PT   Não
Chico Lopes PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Danilo Forte PMDB   Sim
Domingos Neto PSB PsbPtbPcdob Sim
Edson Silva PSB PsbPtbPcdob Sim
Eudes Xavier PT   Não
Genecias Noronha PMDB   Sim
Gorete Pereira PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
José Guimarães PT   Sim
José Linhares PP   Sim
Manoel Salviano PSDB   Sim
Mauro Benevides PMDB   Sim
Raimundão PMDB   Sim
Raimundo Gomes de Matos PSDB   Sim
Vicente Arruda PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Total Ceará: 20   
Piauí (PI)
Hugo Napoleão DEM   Sim
Iracema Portella PP   Sim
Jesus Rodrigues PT   Não
Júlio Cesar DEM   Sim
Marcelo Castro PMDB   Sim
Marllos Sampaio PMDB   Sim
Nazareno Fonteles PT   Não
Osmar Júnior PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Paes Landim PTB PsbPtbPcdob Sim
Total Piauí: 9   
Rio Grande do Norte (RN)
Fábio Faria PMN   Sim
Fátima Bezerra PT   Não
Felipe Maia DEM   Sim
Henrique Eduardo Alves PMDB   Sim
João Maia PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Paulo Wagner PV PvPps Não
Rogério Marinho PSDB   Sim
Sandra Rosado PSB PsbPtbPcdob Sim
Total Rio Grande do Norte: 8   
Paraíba (PB)
Aguinaldo Ribeiro PP   Sim
Benjamin Maranhão PMDB   Sim
Damião Feliciano PDT   Sim
Efraim Filho DEM   Sim
Hugo Motta PMDB   Sim
Luiz Couto PT   Sim
Manoel Junior PMDB   Sim
Nilda Gondim PMDB   Sim
Romero Rodrigues PSDB   Sim
Ruy Carneiro PSDB   Sim
Wellington Roberto PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Total Paraíba: 11   
Pernambuco (PE)
Ana Arraes PSB PsbPtbPcdob Sim
Augusto Coutinho DEM   Sim
Bruno Araújo PSDB   Sim
Carlos Eduardo Cadoca PSC   Sim
Eduardo da Fonte PP   Sim
Fernando Coelho Filho PSB PsbPtbPcdob Sim
Fernando Ferro PT   Não
Gonzaga Patriota PSB PsbPtbPcdob Sim
Inocêncio Oliveira PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
João Paulo Lima PT   Não
Jorge Corte Real PTB PsbPtbPcdob Sim
José Augusto Maia PTB PsbPtbPcdob Sim
José Chaves PTB PsbPtbPcdob Sim
Luciana Santos PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Pastor Eurico PSB PsbPtbPcdob Sim
Paulo Rubem Santiago PDT   Não
Pedro Eugênio PT   Sim
Raul Henry PMDB   Sim
Roberto Teixeira PP   Sim
Silvio Costa PTB PsbPtbPcdob Sim
Vilalba PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Wolney Queiroz PDT   Sim
Total Pernambuco: 22   
Alagoas (AL)
Arthur Lira PP   Sim
Celia Rocha PTB PsbPtbPcdob Sim
Givaldo Carimbão PSB PsbPtbPcdob Sim
João Lyra PTB PsbPtbPcdob Sim
Joaquim Beltrão PMDB   Sim
Maurício Quintella Lessa PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Renan Filho PMDB   Sim
Rui Palmeira PSDB   Sim
Total Alagoas: 8   
Sergipe (SE)
Almeida Lima PMDB   Sim
Andre Moura PSC   Sim
Heleno Silva PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Laercio Oliveira PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Márcio Macêdo PT   Não
Mendonça Prado DEM   Sim
Rogério Carvalho PT   Não
Valadares Filho PSB PsbPtbPcdob Sim
Total Sergipe: 8   
Bahia (BA)
Acelino Popó PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Alice Portugal PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Amauri Teixeira PT   Não
Antonio Brito PTB PsbPtbPcdob Sim
Antonio Carlos Magalhães Neto DEM   Sim
Antonio Imbassahy PSDB   Sim
Arthur Oliveira Maia PMDB   Sim
Claudio Cajado DEM   Sim
Daniel Almeida PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Edson Pimenta PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Emiliano José PT   Sim
Erivelton Santana PSC   Sim
Fábio Souto DEM   Sim
Felix Mendonça Júnior PDT   Sim
Fernando Torres DEM   Sim
Geraldo Simões PT   Sim
Jânio Natal PRP PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
João Carlos Bacelar PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
José Carlos Araújo PDT   Sim
José Nunes DEM   Sim
José Rocha PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Joseph Bandeira PT   Sim
Josias Gomes PT   Sim
Jutahy Junior PSDB   Sim
Lucio Vieira Lima PMDB   Sim
Luiz Alberto PT   Não
Luiz Argôlo PP   Sim
Márcio Marinho PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Marcos Medrado PDT   Sim
Maurício Trindade PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Nelson Pellegrino PT   Sim
Oziel Oliveira PDT   Sim
Paulo Magalhães DEM   Sim
Roberto Britto PP   Sim
Rui Costa PT   Sim
Sérgio Barradas Carneiro PT   Sim
Sérgio Brito PSC   Sim
Valmir Assunção PT   Não
Waldenor Pereira PT   Não
Total Bahia: 39   
Minas Gerais (MG)
Ademir Camilo PDT   Sim
Aelton Freitas PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Antônio Andrade PMDB   Sim
Antônio Roberto PV PvPps Não
Aracely de Paula PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Bernardo Santana de Vasconcellos PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Bonifácio de Andrada PSDB   Sim
Carlaile Pedrosa PSDB   Sim
Diego Andrade PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Dimas Fabiano PP   Sim
Domingos Sávio PSDB   Sim
Dr. Grilo PSL PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Eduardo Azeredo PSDB   Sim
Eduardo Barbosa PSDB   Sim
Eros Biondini PTB PsbPtbPcdob Sim
Fábio Ramalho PV PvPps Não
Gabriel Guimarães PT   Sim
George Hilton PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Geraldo Thadeu PPS PvPps Sim
Gilmar Machado PT   Sim
Jairo Ataide DEM   Sim
Jô Moraes PCdoB PsbPtbPcdob Sim
João Magalhães PMDB   Sim
José Humberto PHS PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Júlio Delgado PSB PsbPtbPcdob Sim
Leonardo Monteiro PT   Não
Lincoln Portela PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Luis Tibé PTdoB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Luiz Fernando Faria PP   Sim
Márcio Reinaldo Moreira PP   Sim
Marcos Montes DEM   Sim
Marcus Pestana PSDB   Sim
Newton Cardoso PMDB   Sim
Odair Cunha PT   Sim
Padre João PT   Não
Paulo Abi-Ackel PSDB   Sim
Paulo Piau PMDB   Sim
Reginaldo Lopes PT   Sim
Rodrigo de Castro PSDB   Abstenção
Saraiva Felipe PMDB   Sim
Stefano Aguiar PSC   Sim
Toninho Pinheiro PP   Sim
Vitor Penido DEM   Sim
Walter Tosta PMN   Sim
Weliton Prado PT   Sim
Zé Silva PDT   Sim
Total Minas Gerais: 46   
Espírito Santo (ES)
Audifax PSB PsbPtbPcdob Não
Camilo Cola PMDB   Sim
Cesar Colnago PSDB   Sim
Dr. Jorge Silva PDT   Sim
Lauriete PSC   Sim
Lelo Coimbra PMDB   Sim
Manato PDT   Sim
Paulo Foletto PSB PsbPtbPcdob Sim
Rose de Freitas PMDB   Sim
Sueli Vidigal PDT   Sim
Total Espírito Santo: 10   
Rio de Janeiro (RJ)
Adrian PMDB   Sim
Alessandro Molon PT   Não
Alexandre Santos PMDB   Sim
Alfredo Sirkis PV PvPps Não
Andreia Zito PSDB   Sim
Anthony Garotinho PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Arolde de Oliveira DEM   Sim
Aureo PRTB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Benedita da Silva PT   Sim
Brizola Neto PDT   Não
Chico Alencar PSOL   Não
Chico D`Angelo PT   Não
Cristiano PTdoB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Deley PSC   Não
Dr. Adilson Soares PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Dr. Aluizio PV PvPps Não
Dr. Carlos Alberto PMN   Sim
Dr. Paulo César PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Não
Edson Ezequiel PMDB   Sim
Edson Santos PT   Sim
Eduardo Cunha PMDB   Sim
Eliane Rolim PT   Sim
Felipe Bornier PHS PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Fernando Jordão PMDB   Sim
Filipe Pereira PSC   Sim
Francisco Floriano PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Glauber Braga PSB PsbPtbPcdob Não
Hugo Leal PSC   Sim
Jair Bolsonaro PP   Sim
Jandira Feghali PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Liliam Sá PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Não
Marcelo Matos PDT   Sim
Miro Teixeira PDT   Não
Neilton Mulim PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Nelson Bornier PMDB   Sim
Otavio Leite PSDB   Sim
Rodrigo Maia DEM   Sim
Romário PSB PsbPtbPcdob Sim
Simão Sessim PP   Sim
Solange Almeida PMDB   Sim
Stepan Nercessian PPS PvPps Sim
Vitor Paulo PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Walney Rocha PTB PsbPtbPcdob Sim
Washington Reis PMDB   Sim
Zoinho PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Total Rio de Janeiro: 45   
São Paulo (SP)
Abelardo Camarinha PSB PsbPtbPcdob Sim
Aldo Rebelo PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Alexandre Leite DEM   Sim
Antonio Bulhões PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Antonio Carlos Mendes Thame PSDB   Sim
Arlindo Chinaglia PT   Sim
Arnaldo Faria de Sá PTB PsbPtbPcdob Sim
Arnaldo Jardim PPS PvPps Sim
Beto Mansur PP   Sim
Bruna Furlan PSDB   Sim
Cândido Vaccarezza PT   Sim
Carlinhos Almeida PT   Sim
Carlos Roberto PSDB   Sim
Carlos Sampaio PSDB   Sim
Carlos Zarattini PT   Sim
Delegado Protógenes PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Devanir Ribeiro PT   Sim
Dimas Ramalho PPS PvPps Sim
Dr. Ubiali PSB PsbPtbPcdob Sim
Duarte Nogueira PSDB   Sim
Edinho Araújo PMDB   Sim
Eleuses Paiva DEM   Sim
Eli Correa Filho DEM   Sim
Gabriel Chalita PSB PsbPtbPcdob Sim
Guilherme Campos DEM   Sim
Guilherme Mussi PV PvPps Não
Ivan Valente PSOL   Não
Janete Rocha Pietá PT   Não
Jefferson Campos PSB PsbPtbPcdob Sim
Jilmar Tatto PT   Não
João Dado PDT   Sim
João Paulo Cunha PT   Sim
Jonas Donizette PSB PsbPtbPcdob Sim
Jorge Tadeu Mudalen DEM   Sim
José De Filippi PT   Sim
José Mentor PT   Sim
Junji Abe DEM   Sim
Keiko Ota PSB PsbPtbPcdob Sim
Luiz Fernando Machado PSDB   Sim
Luiza Erundina PSB PsbPtbPcdob Não
Mara Gabrilli PSDB   Sim
Marcelo Aguiar PSC   Sim
Missionário José Olimpio PP   Sim
Nelson Marquezelli PTB PsbPtbPcdob Sim
Newton Lima PT   Não
Otoniel Lima PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Pastor Marco Feliciano PSC   Sim
Paulo Freire PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Paulo Maluf PP   Sim
Paulo Pereira da Silva PDT   Sim
Paulo Teixeira PT   Sim
Ricardo Berzoini PT   Sim
Ricardo Izar PV PvPps Não
Ricardo Tripoli PSDB   Não
Roberto de Lucena PV PvPps Não
Roberto Freire PPS PvPps Não
Roberto Santiago PV PvPps Não
Salvador Zimbaldi PDT   Sim
Tiririca PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Vanderlei Macris PSDB   Sim
Vaz de Lima PSDB   Sim
Vicente Candido PT   Sim
Vicentinho PT   Sim
Walter Ihoshi DEM   Sim
William Dib PSDB   Sim
Total São Paulo: 65   
Mato Grosso (MT)
Carlos Bezerra PMDB   Sim
Homero Pereira PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Júlio Campos DEM   Sim
Neri Geller PP   Sim
Roberto Dorner PP   Sim
Ságuas Moraes PT   Sim
Valtenir Pereira PSB PsbPtbPcdob Sim
Wellington Fagundes PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Total Mato Grosso: 8   
Distrito Federal (DF)
Augusto Carvalho PPS PvPps Sim
Erika Kokay PT   Não
Izalci PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Jaqueline Roriz PMN   Sim
Policarpo PT   Sim
Reguffe PDT   Não
Ricardo Quirino PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Ronaldo Fonseca PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Total Distrito Federal: 8   
Goiás (GO)
Carlos Alberto Leréia PSDB   Sim
Delegado Waldir PSDB   Sim
Flávia Morais PDT   Sim
Heuler Cruvinel DEM   Sim
Íris de Araújo PMDB   Sim
João Campos PSDB   Sim
Jorge Pinheiro PRB PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Jovair Arantes PTB PsbPtbPcdob Sim
Leandro Vilela PMDB   Sim
Marina Santanna PT   Não
Pedro Chaves PMDB   Sim
Roberto Balestra PP   Sim
Ronaldo Caiado DEM   Sim
Sandes Júnior PP   Sim
Sandro Mabel PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Valdivino de Oliveira PSDB   Sim
Total Goiás: 16   
Mato Grosso do Sul (MS)
Antônio Carlos Biffi PT   Não
Fabio Trad PMDB   Sim
Geraldo Resende PMDB   Sim
Giroto PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Mandetta DEM   Sim
Reinaldo Azambuja PSDB   Sim
Total Mato Grosso do Sul: 6   
Paraná (PR)
Abelardo Lupion DEM   Sim
Alex Canziani PTB PsbPtbPcdob Sim
Alfredo Kaefer PSDB   Sim
André Vargas PT   Sim
André Zacharow PMDB   Sim
Angelo Vanhoni PT   Sim
Assis do Couto PT   Sim
Cida Borghetti PP   Sim
Dilceu Sperafico PP   Sim
Dr. Rosinha PT   Não
Edmar Arruda PSC   Sim
Eduardo Sciarra DEM   Sim
Giacobo PR PrPrbPtdobPrtbPrpPhsPtcPsl Sim
Hermes Parcianello PMDB   Sim
João Arruda PMDB   Sim
Leopoldo Meyer PSB PsbPtbPcdob Sim
Luiz Carlos Setim DEM   Sim
Luiz Nishimori PSDB   Sim
Moacir Micheletto PMDB   Sim
Nelson Meurer PP   Sim
Nelson Padovani PSC   Sim
Osmar Serraglio PMDB   Sim
Ratinho Junior PSC   Sim
Reinhold Stephanes PMDB   Sim
Rosane Ferreira PV PvPps Não
Rubens Bueno PPS PvPps Sim
Sandro Alex PPS PvPps Sim
Takayama PSC   Sim
Zeca Dirceu PT   Sim
Total Paraná: 29   
Santa Catarina (SC)
Carmen Zanotto PPS PvPps Sim
Celso Maldaner PMDB   Sim
Décio Lima PT   Sim
Edinho Bez PMDB   Sim
Esperidião Amin PP   Sim
Gean Loureiro PMDB   Sim
Jorge Boeira PT   Sim
Jorginho Mello PSDB   Sim
Luci Choinacki PT   Sim
Mauro Mariani PMDB   Sim
Onofre Santo Agostini DEM   Sim
Pedro Uczai PT   Não
Rogério Peninha Mendonça PMDB   Sim
Ronaldo Benedet PMDB   Sim
Valdir Colatto PMDB   Sim
Zonta PP   Sim
Total Santa Catarina: 16   
Rio Grande do Sul (RS)
Afonso Hamm PP   Sim
Alceu Moreira PMDB   Sim
Assis Melo PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Bohn Gass PT   Sim
Danrlei De Deus Hinterholz PTB PsbPtbPcdob Sim
Darcísio Perondi PMDB   Sim
Enio Bacci PDT   Sim
Fernando Marroni PT   Não
Giovani Cherini PDT   Sim
Henrique Fontana PT   Não
Jeronimo Goergen PP   Sim
José Otávio Germano PP   Sim
José Stédile PSB PsbPtbPcdob Sim
Luis Carlos Heinze PP   Sim
Luiz Noé PSB PsbPtbPcdob Sim
Manuela D`ávila PCdoB PsbPtbPcdob Sim
Marco Maia PT   Art. 17
Marcon PT   Não
Mendes Ribeiro Filho PMDB   Sim
Nelson Marchezan Junior PSDB   Sim
Osmar Terra PMDB   Sim
Paulo Pimenta PT   Não
Renato Molling PP   Sim
Ronaldo Nogueira PTB PsbPtbPcdob Sim
Ronaldo Zulke PT   Sim
Sérgio Moraes PTB PsbPtbPcdob Sim
Vieira da Cunha PDT   Não
Vilson Covatti PP   Sim
Total Rio Grande do Sul: 28   


Fonte: CENIN - Coordenação do Sistema Eletrônico de Votação
INSTITUTO ORBIS