domingo, 31 de março de 2013

Desenvolvimento social e natalidade

Desenvolvimento social e natalidade
Estamos publicando artigo do médico portoalegrense João Paulo S. Fagundes e que correlaciona duas variáveis intrinsicamente ligadas – desenvolvimento humano e social e índices de natalidade. Movimentos em formação como a #REDE deveriam incluir esse debate na sua agenda.
China, Brasil, Índia e alguns países africanos apresentam altas taxas de natalidade e muitas limitações para oferecer saúde, habitação, educação, segurança, saneamento, etc. Seria este mais um argumento para justificar estas dificuldades?
A revista “The Economist”, avaliou 140 cidades ao redor do mundo para descobrir o lugar que oferece as melhores condições para se viver. Em 2010, a australiana Melbourne liderou o City Livability Ranking, que pertencia a Vancouver, no Canadá. Segundo a avaliação, sete das dez melhores cidades para viver estão localizadas na Austrália e no Canadá, devido às baixas densidade populacional e taxas de criminalidade. Não por acaso o índice de natalidade destes países é semelhante ao da Finlândia.
Em 1970 nós éramos 90 milhões ; agora somos quase 200 milhões. Crescemos tres Argentinas em 40 anos!!! E a Finlândia? Bem a Finlândia neste mesmo período “pulou” de 4.600.000 para 5.200.000 de habitantes. Tivessemos crescido no mesmo ritmo da Finlândia, Portugal, Australia, Canadá, países nórdicos, Reino Unido teríamos entre 113 e 117 milhões de habitantes e certamente melhores condições e fôlego para administrar estes problemas.
Onde estão os quase 90 milhões que nasceram a mais se tivessemos a taxa de natalidade da Finlândia? Uma boa parcela provavelmente em busca de acesso à educação, saúde, habitação, etc… Não tem País que aguente este descontrole de Natalidade: dobramos a nossa população assim como a Índia, a China, etc, os quais também não tem como resolver estes problemas de atitude!
Segundo a ONU a população mundial chegará a 9,2 bilhões de habitantes em 2050. Qual seria o limite harmônico para a população da Terra?
A superfície do Planeta coberta por terra é de aproximadamente 129 milhões de Km2. Pela cifras demográficas do Brasil (20 hab/Km2), consideradas baixas, será que o planeta suportaria 26 bilhões de pessoas? E pelos números da Índia – 328 hab/Km2 – será que com 400 bilhões de seres humanos sobre a Terra poderíamos considerá-la superpovoada? 
Artigo completo em Matas Nativas

A mentira de 31 de março de 1964

A mentira de 31 de março de 1964
No dia 1º de abril de 1964, a conspiração que uniu as altas esferas do empresariado brasileiro, os latifundiários, os chefes militares, a hierarquia católica conservadora e agentes do imperialismo dos EUA depuseram o presidente
constitucional João Goulart e deram início à ditadura militar que marcou as duas décadas seguintes pelo sangue dos patriotas e democratas, pela destruição da democracia e do Estado de Direito no Brasil.
Desde aquele dia inaugural da ditadura, a data que tem sido lembrada é a da véspera, 31 de março, pela folclórica razão de que, sendo o 1º de abril o dia da mentira, o golpe militar se tornaria alvo de chacota entre o povo.
O 1º de abril teria sido o dia mais indicado para lembrar aquele episódio nefasto. Era mentira que os golpistas defendiam a democracia, como alegavam; não era verdade que defendessem a soberania brasileira nem o desenvolvimento do país.
Contra a democracia, rasgaram a Constituição, instituíram a legislação de exceção que permitiu a cassação de direitos políticos e democráticos e de mandatos eletivos, no esforço de eliminar do cenário político parlamentares, sindicalistas, democratas, patriotas, lideranças de trabalhadores e do povo, que não aceitavam o arbítrio da ditadura.
O rosário de assassinatos, tortura, prisões ilegais, exílio e outras formas de opressão contra os que resistiam à ditadura é conhecido e o preço pago em sangue pelos brasileiros é irresgatável e inegociável.
Leia Mais no Blog Geração AI5

Fogo no Taim deve ser apagado somente segunda-feira

Primeiro avião chegou na sexta-feira à tarde para combater o incêndio no Taim 
Foto: Guga-VW / Especial
Fogo no Taim deve ser apagado somente segunda-feira
Previsão que incêndio seria extinto neste domingo é adiada em função de vento forte
Por Júlia Otero
A projeção de que o incêndio que atinge a Reserva Ecológica do Taim seria extinto neste domingo é adiada em função de um vento forte na região entre 11h e 14h30min. A nova perspectiva é de que o fogo seja apagado somente segunda-feira.
De manhã, os técnicos estavam otimistas porque haviam apagado parte do fogo em um trabalho conjunto entre aviões e brigadistas. Além disso, o vento estava fraco e uma forte neblina deixou o ambiente úmido.
No entanto, um vento sentido sul atingiu a região entre 11h e 14h30min e fez com que as chamas fossem em direção a um canal, área que preocupa o chefe da Estação, Henrique Ilha, do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio):
— Se o fogo passar do canal, irá atingir uma região que está intacta e o problema pode ser maior.
A equipe de incêndio vinha obtendo sucesso em apagar o fogo com o seguinte processo: os aviões passavam jogando água e os brigadistas abafavam o fogo, apagando de vez a chama. Sem a ajuda dos brigadistas, o fogo é apenas mantido como está, não se propaga, porém não diminui. O problema é que a operação só acontece durante o dia, pois há visibilidade.
Com a nova área em risco, a equipe de incêndio deixou o local onde vinha obtendo sucesso para se deslocar para perto do canal. No entanto, o local é de difícil acesso terrestre e às 16h20min não se sabia se a equipe de brigadistas conseguiria chegar.
Fonte: Zero Hora

全球最美的街,居民要樹不要商場

全球最美的街,居民要樹不要商場
Image © Stephen Messenger

巴西南部大城市阿雷格里港這條街,擁有500多米的「樹隧道」,被認為全球最美。作家 Pedro Nuno Teixeira Santos 曾這樣形容:

Goncalo de Carvalho in Porto Alegre, Brazil, is not only the most beautiful street in the world because of the stunning visual effect of its immense Tipuana green tunnel. It is the most beautiful street in the world for this, but mainly because these trees were planted cherished by its residents, over several decades, that is, the green tunnel is the result of love, the love of the trees! It was from this love and this struggle of the residents of Goncalo de Carvalho, that the political power of the city found itself forced to recognize the importance of cultural heritage, landscape and environment, classifying and protecting it with the force of law.
1930年代,這裡的德國啤酒廠工人種下 Tipuana樹(即薔薇木,Rosewood ),今天長到七層樓高。2005年,政府計劃清除部份,讓出空間建造商場。活在「樹林」的居民堅決不讓步,迫使地方政府宣佈整條 Rua Gonçalo de Carvalho 街成為該城的「歷史、文化及環境遺產」,街上的樹受到法律保護。
Image © Stephen Messenger
延伸閱讀:Rua Gonçalo de Carvalho 網誌 (葡萄牙語)
-tc/alan
Source:  The House News

quinta-feira, 28 de março de 2013

Destruyen Templo declarado Patrimonio Cultural de la Humanidad

Destruyen Templo declarado Patrimonio Cultural de la Humanidad
El famoso templo de San Andrés de Pisimbala, declarado por la Unesco Patrimonio de la humanidad, fue quemado en un 90% luego de que indígenas y campesinos de la zona de Tierradentro, en el Cauca, en medio de ancestrales enfrentamientos sucedidos en la madrugada de hoy jueves, según informaciones, atacaron el preciado momumento  histórico y religioso ligado al pueblo indigena Nasa.
Los hechos han generado tristeza a nivel nacional e internacional dado el significado de esta zona milenaria, ubicado sobre la cordillera central en el suroccidente del país, una zona en la que se ubica el parque Arqueológico de Tierradentro.
Los hechos fueron rechazados por el alcalde local Mauricio Castillo Morales, señaló que en este hecho hubo manos criminales. El templo es relevante por su belleza, y la historia con el pueblo Nasa, quienes fueron acérrrimos opositores de la invasión española. El periodista Ovidio Reynaldo Hoyos Mósquera en su portal indicó que  "En esa parte del oriente del Cauca se vive un conflicto entre indígenas y campesinos que se viene agudizando por el manejo y administración de la educación"  Según fuentes citadas por el periodista: "ha llegado una comisión del gobierno de Inzá a San Andrés de Pisimbalá para constatar los graves hechos al considerar que se trata de un atentado al patrimonio cultural de la humanidad".
Por su parte Jair Cardoso, director de la emisora Radio Eucha, del municipio de Belalcazar, reportó que el hecho se registró a la 1:00 a.m. del jueves, y de acuerdo a las primeras versiones la estructura de la capilla sufrió averías muy graves en un 90%.
Extraoficialmente se informó también que una turba de indígenas, la emprendió contra el templo y le prendió fuego, como secuela del conflicto por tierras entre campesinos e indígenas que se viene presentando en la región y que se reavivó la semana anterior.
Construida de barro y techo de paja, la capilla era el ícono de la región considerada Patrimonio arquitectónico de la Humanidad por la UNESCO, por existir en sus alrededores cerca de 90 hipogeos de las culturas nativas andinas.
En la zona, se vive desde hace dos años una lucha violenta atizada por las comunidades indígenas contra los campesinos por la posesión de la tierra, que deja hasta el momento muertos y familias desterradas. Esas fricciones se agudizaron en las últimas horas, con la toma un centro educativo por los nativos.
En la zona se encuentra el obispo de Tierradentro, monseñor Hernán Tirado, quien hace una inspección a la iglesia destruida.
Fuente: Red Los Verdes/via Facebook

Semana Santa negra en San Andres de Pisimbala

 
Semana Santa negra en San Andres de Pisimbala
El día  28 de Marzo siendo las 12:45 de la madrugada, el Pueblo de San Andrés de Pisimbalá, fue levantado afanosa mente tras el acto de vandalismo propiciado en contra de la Iglesia Doctrinera de San Andrés, emblema  Municipal, Nacional e Internacional, y el cual forma parte de la Declaratoria como Patrimonio Histórico y Cultural de la Humanidad. 
Este sitio de regocijo cristiano, el cual congregaba a todos los feligreses de San Andrés en la celebración de la semana Mayor, fue reducido a cenizas, y pese a todo el esfuerzo de la comunidad y de los cuerpos de socorro para controlar dicha conflagración, fue imposible, ya que por su estructura contenía alto grado de combustión. 
El Alcalde Municipal quien hizo presencia en el lugar, rechazo dicho acto que enluta a la ciudadanía Inzaeña y especialmente a la comunidad de San Andrés, quienes apreciaban mucho este lugar de regocijo, oración y fraternidad, y que los caracterizaba a nivel Internacional por su belleza y arquitectura.
Fuente: Inza Cauca

Possível OVNI filmado a aterrar no Novo México

Possível OVNI filmado a aterrar no Novo México
Uma filmagem de um suposto OVNI (Objeto Voador Não Identificado), a aproximar-se e a aterrar numa zona industrial, no Novo México, está a fazer furor na Internet.
Segundo avança o jornal britânico "Daily Mail", o vídeo amador foi gravado a partir de um automóvel, que circulava numa auto-estrada próxima, e descarregado no YouTube por Stephen Hannard, do Alien Disclosure Group, uma entidade britânica que estuda fenómenos extraterrestres, que afirma "ser possível tratar-se de um OVNI a aterrar no Novo México, ou de um aparelho terrestre ainda desconhecido".

Como sempre acontece nestes casos, o vídeo já está a ser contestado, com muitos a afirmarem tratar-se de uma montagem.
Nas imagens, o objecto voador, curiosamente, apresenta um logotipo parecido com a estrela norte-americana, o que também está a ser apontado como possibilidade de se tratar de um aparelho secreto do exército dos Estados Unidos da América.
Fonte: Diário de Notícias

quarta-feira, 27 de março de 2013

Medo Nuclear: depois de Fukushima, bomba atômica é nova preocupação dos terráqueos

Medo Nuclear: depois de Fukushima, bomba atômica é nova preocupação dos terráqueos
Coréia do Norte e Irã nos últimos meses estão causando preocupação não só nos países aliados do ocidente, mas também entre a população terráquea que poderá ser varrida da face da terra com uma guerra nuclear, com armas modernas, uma força destruidora maior que as bombas de Hiroshima e Nagasaki, no Japão, cidades destruídas no final da 2ª guerra mundial.
No mesmo Japão onde o desastre nuclear de Fukushima ocorreu, depois de ser atingido por um Tsunami em 2011, causando a morte de milhares de pessoas, com o medo da radiação nuclear tomando conta da região. Até o momento as evidências mostram que a radiação ainda vaza em doses altíssimas, o que já comprometeu o pescado em águas distantes da cidade onde estava localizada a central nuclear japonesa.
Nos últimos dias, a imprensa ocidental tem mostrado as notícias das atividades norte-coreanas visando a construção de mísseis de longo alcance, e os testes realizados causaram medo nas autoridades mundiais, e especial o Japão e Estados Unidos.
De longa data, o medo dos países muçulmanos como o Irã de adquirir condições de construir bombas atômicas é algo que se desenrola num quadro totalmente tenso. 
Nações próximas e inimigas dos palestinos e árabes, Israel tem um poder nuclear sem comparações na região e está em alerta sobre os avanços dos muçulmanos na área da energia nuclear.
Hoje, existem mais de 5.400 ogivas instaladas em mísseis balísticos intercontinentais, em terra e no mar; 1.750 bombas nucleares e mísseis de cruzeiro prontos para serem lançados de bombardeiros B-2 e B-52; outras 1.670 armas nucleares classificadas como "táticas". E, por via das dúvidas, outras 10 mil ogivas nucleares mantidas em silos nos EUA contra surpresas futuras.
Se for levado em conta, os arsenais nucleares americanos, o planeta terra não seria destruído, mesmo sendo tamanha a força nuclear estocada em silos espalhados pelo país, em submarinos e porta-aviões, que poderiam em minutos dar uma resposta rápida contra ameaças.
Caso das bravatas do ditador-filho que assumiu o Governo da Coréia do Norte, inimigo da Coréia do Sul e do Japão, mas apoiados discretamente pela China e Rússia. Nas últimas semanas, Kim Jong Un disse que poderia ordenar um ataque preventivo contra os Estados Unidos, em resposta as sanções impostas pela ONU contra a Coréia do Norte.
Nas últimas 24 horas, suas armas estão apontadas para ilhas com alvos americanos e japoneses.
O medo nuclear toma conta dos noticiários e em todos os canais de televisão, rádios e jornais, o assunto propaga a ideia do eixo do mal estar avançando nos seus planos de obter a energia atômica e utilizá-la.
Após a queda do comunismo na Rússia muitos arsenais nucleares estiveram em perigo, por possíveis vendas de urânio e até mesmo pequenas ogivas nucleares que caíram em mãos da máfia e quem sabe, até mesmo terroristas ou fundamentalistas, como o Talibã.
O incerto futuro geopolítico no planeta coloca no dia-a-dia da população o medo de que uma guerra nuclear possa trazer o fim à humanidade em dias, quem sabe até mesmo, em algumas horas.
O que nos resta esperar, é que nenhum maluco com dedo no Botão Nuclear possa ter a insana ideia de apertá-lo.
Por Julio Wandam
Fonte: REDE Os Verdes/via e-mail

Incêndio atinge a reserva ecológica do Taim, no Sul do RS

Incêndio atinge a reserva ecológica do Taim, no Sul do RS
Fogo começou ainda na terça-feira (26), segundo Instituto Chico Mendes. Aeronaves tentam combater as chamas despejando água na reserva
Por Julieta Amaral 
Um incêndio que já dura mais de 24 horas atinge a Estação Ecológica do Taim, no sul do Rio Grande do Sul. A extensão dos danos e a área atingida ainda não foram determinadas, mas estima-se que as chamas já tenham consumido pelo menos 30 hectares de vegetação.
Responsável pela estação ecológica, o coordenador do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), Henrique Ilha, sobrevoou a região do incêndio na tarde desta quarta-feira (27) a bordo de um helicóptero da Marinha. No final da tarde, ele deve dar mais detalhes sobre o caso.
Às margens da BR-471, rodovia que liga Rio Grande a Santa Vitória do Palmar, é possível avistar uma larga coluna de fumaça. O fogo na reserva teria começada na manhã de terça-feira (26). A principal suspeita é de que teria sido provocado por um raio.
O incêndio está concentrado em uma área de difícil acesso, onde não é possível chegar de carro ou embarcações. Por esse motivo, o Corpo de Bombeiros não foi acionado. A única maneira de combater as chamas é utilizando aviões.
Duas aeronaves agrícolas de pequeno tentam contar o avanço do fogo, despejando cada uma 650 litros de água por voo. Nesta quinta-feira (28), o ICMBio, autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, deve enviar dois aviões com maior capacidade de carga para colaborar na operação. 
A reserva do Taim abrange uma área de 34 mil hectares, entre os municípios do Rio Grande e de Santa Vitória do Palmar. A estação fica em uma faixa de terra localizada entre a Lagoa Mirim e o Oceano Atlântico, próximo ao Arroio Chuí, na fronteira do Brasil com o Uruguai.
Criada por decreto em 1986, a estação do Taim é uma 312 unidades de conservação federais geridas pelo ICMBio. É considerada uma das mais importantes reservas, em função da grande biodiversidade que abriga.
No banhado, que constitui a maior parte da vegetação da reserva, vivem várias espécies de animais, como capivaras, ratões, jacarés, tartarugas, entre outras, além de centenas de espécies diferentes de aves.
Em 28 de janeiro de 2008, a reserva foi atingida pelo maior incêndio de sua história. As chamas foram controladas apenas cinco dias depois, após terem consumindo cerca de 4 mil hectares de vegetação da reserva.
Fonte: G1

terça-feira, 26 de março de 2013

Porto Alegre completa 241 anos de história nesta terça-feira

Porto Alegre completa 241 anos de história nesta terça-feira
Ainda jovem, a capital dos gaúchos é um mosaico de culturas
A capital do gaúchos completa nesta terça-feira (26) 241 anos. Porto Alegre, que atualmente tem cerca de 1,5 milhões de habitantes, já foi mais singela.
O povoamento começou em 1752, com a chegada de 60 casais portugueses açorianos trazidos por meio do Tratado de Madri para se instalarem nas Missões, região do Noroeste do Estado, que estava sendo entregue ao governo português em troca da Colônia de Sacramento, nas margens do Rio da Prata.
A demarcação dessas terras demorou e os açorianos permaneceram no então chamado Porto de Viamão, primeira denominação de Porto Alegre.
A fundação oficial foi oficializada em 26 de março de 1772, com a criação da Freguesia de São Francisco do Porto dos Casais, um ano depois alterada para Nossa Senhora da Madre de Deus de Porto Alegre.
Em 24 de julho de 1773, Porto Alegre se tornou a capital da capitania, com a instalação oficial do governo de José Marcelino de Figueiredo.
A partir de 1824, passou a receber imigrantes de todo o mundo, em particular alemães, italianos, espanhois, africanos, poloneses, judeus e libaneses.
Este mosaico de múltiplas expressões, variadas faces e origens étnicas, religiosas e linguísticas, faz de Porto Alegre uma cidade cosmopolita e multicultural, uma demonstração bem sucedida de diversidade e pluralidade.
Imagens:  Facebook
Fonte: Jornal NH

segunda-feira, 25 de março de 2013

Police Storm Squatters at Rio Stadium Site

Police Storm Squatters at Rio Stadium Site
A standoff in an effort to dislodge indigenous people living in Rio de Janeiro’s former Indian Museum highlighted tensions over evictions for development for two major sporting events
By Simon Romero and Taylor Barnes
The Brazilian police on Friday stormed the work site of Maracanã, the venerable soccer stadium under renovation ahead of the 2014 World Cup and 2016 Olympics, in an attempt to end a standoff with more than 20 indigenous protesters who had squatted for years in an adjacent building that once housed Brazil’s first Indian Museum.
A force of about 200 camouflage-clad police officers fired tear gas in the direction of more than a hundred protesters supporting the squatters, and used pepper spray on them at various points in the chaotic operation, drawing sharp rebukes from indigenous leaders and human rights advocates.
By early Friday afternoon, the police appeared to have dislodged the squatters from the building. But the operation highlighted the festering tension here over forced evictions in areas scheduled for development, adding controversy to major sporting events intended to symbolize Brazil’s growing global clout.
“By resorting to force, this reflects the general attitude of state authorities toward the people getting in the way of their sports projects,” said Christopher Gaffney, a professor of urbanism at Rio de Janeiro’s Fluminense Federal University.
The governor of Rio de Janeiro State, Sérgio Cabral, said this month that a new Olympic Museum was planned for the area where the indigenous protesters were living. It is part of a broader renovation of the Maracanã stadium, built to seat more than 70,000 spectators and expected to include a shopping center.
People from various Brazilian indigenous groups — including Pataxós, Tukanos, Guajajaras and Apurinã — had been living since 2006 in huts built around the old Indian Museum, a crumbling 19th-century structure on land donated by a son-in-law of Pedro II, an emperor of Brazil, for a research center on Brazil’s indigenous cultures.
The building eventually housed Brazil’s Indian Protection Service and, from 1953 to 1977, the Indian Museum, before it was moved to another part of Rio. Abandoned by the authorities in the shadow of Maracanã, the building and its grounds were occupied in recent years by indigenous squatters who renamed the area Maracanã Village.
The state authorities said they have offered the squatters temporary housing at a building in downtown Rio. The State Office for Human Rights said the construction of a different “indigenous reference center” was under discussion.
Nonindigenous protesters at the site on Friday seemed to absorb the harshest reactions from the police, as officers fired tear gas into the crowd. A police spokesman said that security forces had to storm the area after a building was set on fire in the grounds of the old museum.
“The indigenous have a natural right to Brazilian territory,” said Daniel Sampaio, 21, a mathematics student wearing a blue feather headdress in solidarity. “The white people took their land.”
Daniel Macedo, a public defender here, told the television network GloboNews that there was “abuse of authority” in the police’s handling of the episode. “The police had no right to use any type of violence,” Mr. Macedo said. “They used pepper spray on my face and that of a prosecutor from the judicial branch.”
A version of this article appeared in print on March 23, 2013, on page A5 of the New York edition with the headline: Police Storm Squatters at Rio Stadium Site.
Source: The New York Times

Read more in Taipei Times and Palm Beach Post