segunda-feira, 22 de julho de 2013

Tibet Situation: Critical - Full Documentary by Jason Lansdell

Tibet Situation: Critical - Full Documentary by Jason Lansdell
Tibet Situation: Critical - Full Documentary by Jason Lansdell, is an extensive look at the current situation in Tibet and for Tibetans in exile. It covers the history of Tibet, before and after the Chinese invasion. The clips in this film are from a wide range of documentaries and news organisations, as well as never before seen footage.
The main focus and theme of Tibet Situation : Critical is to show the brutality of the Chinese Government against the Tibetan people, as well as an end segment explaining how you can help.
Copyright Disclaimer Under Section 107 in the Copyright Act 1976. Allowance is made for "fair use" for purpose's such as criticism, comment, news, reporting, teaching, scholarship, and research.
Fair use is a use permitted by copyright statute that might otherwise be infringing. Non-profit, educational or personal use tip the balance in favor of fair use."
Source:  Tibet Times

domingo, 21 de julho de 2013

Ambientalista destaca importância das plantas no equilíbrio ecológico

Ambientalista destaca importância das plantas no equilíbrio ecológico
A ativista ambiental Maria Donzela, no município de Chicomba, província da Huíla, destacou a importância das plantas no equilíbrio ecológico e qualidade de vida das populações.
Falando numa palestra dirigida a líderes comunitários, religiosos, tradicionais e agricultores, a ambientalista afirmou que as plantas são responsáveis pela geração do oxigênio que as pessoas e animais necessitam para respirar.
A responsável esclareceu ainda aos presentes que as plantas fortificam os solos, tornando-os férteis e sustentam a vida no planeta, pelo que apelou a uma actuação mais responsável e séria da sociedade com vista a sua conservação.
Exortou as autoridades tradicionais, líderes comunitários e religiosos a elucidarem os cidadãos sobre a importância deste recurso e impedir as devastações das florestas para produção do carvão.
Com uma população estimada em mais de 110 mil habitantes, o município de Chicomba dista a 220 quilómetros a norte do Lubango, província da Huíla.
Fonte: Portal Angop

Governo veta missão da ONU que investigaria acesso à saneamento no Brasil

Governo veta missão da ONU que investigaria acesso à saneamento no Brasil  
O governo brasileiro vetou a investigação de uma missão da ONU que avaliaria a situação do acesso à água e saneamento no País
O veto foi anunciado à ONU e nenhuma explicação razoável foi dada. Na ONU, porém, o Estado apurou que a informação é de que o governo não quer que, nesse momento de manifestação e demandas da população, se escancare mais um sério problema social do País. A ordem de vetar a viagem veio do próprio gabinete da presidente Dilma Rousseff. 
“O governo apenas explicou que, por motivos imprevistos, a missão não poderia mais ocorrer”, declarou ao Estado a relatora da ONU para o Direito à Agua e Saneamento, a portuguesa Catarina de Albuquerque. Ao saber do cancelamento de sua viagem, a relatora não disfarçava sua frustração. 
Sua missão começaria no dia 9 de julho e passaria por Brasília, São Paulo, favelas do Rio de Janeiro e a zona rural do Ceará. Os dados da ONU são claros em demonstrar que, apesar do crescimento da economia nas últimas décadas, a situação do acesso ao saneamento é dramática. 
“Entre 1990 e 2013, a situação daqueles que tem acesso ao saneamento melhorou em apenas 1%”, declarou Catarina. Segundo ela, 7,2 milhoes de brasileiros ainda usam banheiros a ceu aberto todos os dias. “Isso representa 4% da população. É um número muito grande e quase o tamanho de Portugal”, declarou. 
Oficialmente, Catarina insiste que não entende o motivo do cancelamento da avaliação. Mas, nos bastidores, pessoas ligadas à organização da viagem indicaram que o motivo seria o temor do governo de que a declaração da ONU e sua constatação inflamassem ainda mais certos protestos. Catarina deveria, por exemplo, dar uma coletiva de imprensa no Brasil para apresentar os dados dramáticos do País. 
O acesso ao saneamento básico deve ser um dos pontos das metas do Milênio da ONU que o Brasil não conseguirá atingir até 2015. As Metas, estabelecidas em 2000, previam uma redução substancial do número de pessoas sem acesso a banheiros em 15 anos. 
A viagem tinha sido fixada em abril e, desde então, a ONU fechou visitas com ongs a locais onde a situação é dramática. No Rio de Janeiro, ela visitaria favelas, justamente onde se questiona o estado por estar construindo teleféricos, e não obras de saneamento básico. 
Oficialmente, a explicação do governo era de que o Ministério das Cidades não teria como receber a relatora, já que estaria concentrado em elaborar um novo plano de mobilidade pública no País. A ONU se colocou â disposição para mudar a agenda, mantendo a viagem. Mas essa opção foi rejeitada. Segundo Catarina, dos 12 dias que ela ficaria no País, o encontro com autoridades ocuparia apenas um dia. 
Além de cancelar a viagem, o que surpreendeu a ONU é que, até agora, o governo brasileiro não indicou se aceitará uma nova viagem no segundo semestre do ano. O Brasil tem um compromisso internacional de receber todos os relatores da ONU que desejam visitar o País. 
Fonte: Blog Estadão

Novo vírus da gripe aviária pode se espalhar pelo mundo

Novo vírus da gripe aviária pode se espalhar pelo mundo
O novo e mortal vírus da gripe aviária, que surgiu na China em fevereiro, parece ter se esgotado nos últimos meses. No entanto, cientistas disseram que ele pode reaparecer ainda este ano, quando a estação quente chegar ao fim – e poderia se espalhar internacionalmente.
Um estudo realizado por pesquisadores na China e Hong Kong encontraram apenas um caso humano da ave cepa da gripe H7N9 identificado desde o início de maio.
Nos meses anteriores, o vírus, o que era desconhecido em humanos até fevereiro, já infectou mais de 130 pessoas na China e em Taiwan, matando 37 deles, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).
“A temporada quente já começou na China, e apenas um novo caso confirmado por laboratório de H7N9 em seres humanos foi identificado desde 8 de maio de 2013,” escreveram os pesquisadores em um estudo publicado na revista médica “The Lancet”.
“Se o H7N9 segue um padrão semelhante ao H5N1, a epidemia poderia reaparecer no outono”, acrescentaram.
O H5N1 é uma outra cepa mortal da gripe aviária que surgiu em 2003 e desde então se espalhou ao redor do mundo. Últimos dados da OMS em exposição mostram que o H5N1 já matou 375 das 630 pessoas confirmadas como infectadas nos últimos 10 anos. Muitos casos de H5N1 foram confirmados no Egito, Indonésia e Vietnã.
Os pesquisadores do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) em Pequim e da Universidade de Hong Kong disseram que a calmaria potencial do H7N9 poderia oferecer aos funcionários da saúde a oportunidade de discutir adequadamente e planejar com antecedência a possibilidade de retorno da gripe e divulgação mais ampla. Isto deve incluir planos para a construção da capacidade de saúde na região, “tendo em vista a possibilidade de que H7N9 poderia se espalhar para além das fronteiras da China”, disseram eles.
Já Especialistas da agência das Nações Unidas disse no mês de maio que o surto de gripe aviária na China custou à economia cerca de US$ 6,5 bilhões.
Em um segundo estudo publicado na mesma revista, os pesquisadores também descobriram que, enquanto a gripe H7N9 tem um menor risco de morte do que o temido H5N1, ela tem um risco de mortalidade maior do que a gripe H1N1 de 2009, que varreu o mundo em 2009 e 2010, em uma pandemia.
Depois de analisar os dados sobre internações hospitalares, a equipe descobriu que a gripe aviária H5N1 teve um risco de mortalidade de cerca de 60% para os pacientes internados no hospital – quase o dobro da nova cepa H7N9, que tem uma taxa de cerca de um terço das pessoas hospitalizadas com a morte infecção.
A pandemia H1N1, muitas vezes referida como “gripe suína”, matou 21% das pessoas infectadas que foram levados para o hospital, disseram os pesquisadores.
A equipe pediu às autoridades de saúde e os médicos que não se iludam com uma falsa sensação de segurança, proporcionada pela queda acentuada de casos de H7N9 nas últimas semanas.
“Vigilância contínua e esforços de controle intensivo sustentados contra o vírus são necessários para minimizar o risco de infecção humana, que é maior do que anteriormente reconhecido”, disseram eles.
Fonte: G1

Tsunami ‘miracle’ tree restored and opened to public

Tsunami ‘miracle’ tree restored and opened to public
The only tree left standing in the Japanese town of Rikuzentakata, after the disastrous earthquake and tsunami hit northeastern Japan in 2011, was completely restored and opened to public on Wednesday.
The 250-year-old pine is seen as a symbol of life and hope after it became the only tree to survive the March 2011 tsunami among 70,000 other trees spread on the town’s coastline.
The 27-metre pine was initially alive, but it had to be removed last September after its roots died due to the exposure to salt water.
It was preserved by experts almost in its original state by inserting a metal skeleton into its trunk and adding replica branches and leaves made from a synthetic resin, according to the international press.
More than Y150 million were invested in the restoration project, with money being obtained from donations in Japan and abroad.
An estimated 1,700 people died in Rikuzentakata after it was engulfed by waves up to 13 metres high on the afternoon of 11 March 2011.
“For those of us who were left suffering after the disaster, the miracle pine gave us the strength and hope to carry on living,” the town’s mayor, Futoshi Toba, whose wife died in the tsunami, said at an unveiling ceremony.
The flattened area closest to the sea will be turned into a disaster-prevention and memorial park, with the “miracle” pine as its centerpiece.
Source: Tokio Times

Nova comissão chilena velará por direitos dos povos indígenas

Nova comissão chilena velará por direitos dos povos indígenas
Organizações não governamentais chilenas informaram sobre a criação da Comissão de Observação e Defesa dos Direitos Humanos dos Povos Originários
Essa entidade é uma resposta à repressão policial registrada em vários pontos do território nacional, particularmente nas regiões da La Araucanía e dos Ríos. Segundo seus criadores, esse organismo realizará a partir de agora o seguimento das situações de perseguição, repressão e perdas de patrimônio ambiental por parte dos distintos povos indígenas presente no Chile.
Viviana Díaz, Prêmio Nacional de Direitos Humanos, disse que é inaceitável que em diversos pontos do país se ignore o direito à consulta dos povos indígenas e tribais guardados na Convenção 169 da Organização Mundial do Trabalho (OIT).
Neste sentido, a também dirigente da Agrupação de Familiares de Detidos Desaparecidos disse que a razão da criação da Comissão é fazer saber a todos os que hoje se encontram nas prisões que têm direito a um julgamento justo.
Eles têm direito a um justo processo judicial, trata-se de não maltratar a um povo ao qual roubaram pouco a pouco suas terras e não tem nem sequer o direito a serem escutados como corresponde, enfatizou Díaz.
Por sua vez, o presidente da junta da Federação de Estudantes da Universidade Católica, Diego Vela, disse que o trabalho desta Comissão estará enfocado em como desde hoje nos fazemos todos cargo dos direitos humanos dos povos indígenas.
Podem ser feitas reformas concretas neste tema, em eliminar, por exemplo, a Lei Antiterrorista; dar liberdade aos presos políticos mapuches e, sobretudo, respeitar uma cultura desconhecida e que justamente deveria ser um de nossos princípios como país, enfatizou.
Finalmente, a porta-voz da Rede pelos Direitos Educativos e Linguísticos dos Povos Indígenas, Elizabeth Pilquil, se referiu à repressão cultural que se registra nas cadeias onde permanecem presos dirigentes mapuches.
No território chileno existem nove povos indígenas (Aimara, Quechua, Atacameño, Kolla, Diaguita, Rapanui, Mapuche, Yagán y Kawésqar) e sete que já desapareceram (Caucahué, Chango, Picunche, Cunco, Chono, Aónikenk e SelkâÖnam).
A Comissão de Observação e Defesa dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas está formada pela Comissão Ética Contra a Tortura no Chile, e as federações de estudantes das universidades Católica (FEUC) e do Chile (Feuch).
Também a integram, a Corporação Mais Democracia, a Rede pelos Direitos Educativos e Linguísticos dos Povos Indígenas, e a Central Unitária de Trabalhadores (CUT).
Fonte: Prensa Latina

Amazon deforestation up sharply, group says

Amazon deforestation up sharply, group says
BRASILIA – Deforestation has soared in the Brazilian Amazon since a new forestry code was passed last year at the urging of the agribusiness lobby, a nonprofit environmental group said Thursday.
Between August 2012 and last month, 1,838 sq. km of forest were lost, a 103 percent hike over a year earlier, Institute Imazon said in its latest report.
The biggest losses since last August were in the northern state of Para and in the central-western state of Matto Grosso, it said. The institute said deforestation in June totaled 184 sq. km, up 437 percent over June 2012. The increased losses coincided with adoption of the new forestry code last year.
The law limits the use of land for farming and says that up to 80 percent of privately owned land in the Amazon remain intact. But it allows landowners to cultivate riverbanks and hillsides that were previously exempt, and eases restrictions for small landowners who face difficulties in recovering illegally cleared land.
More than 60 percent of Brazil’s 8.5 million sq. km is forested, but two-thirds is either privately owned or ownership is undefined. Environmentalists say the new legislation encourages deforestation.
“The forestry code sent a bad signal, that past deforestation is being excused and both Congress and the government are signaling that rules are less rigorous,” Imazon investigator Adalberto Verissimo told O Globo newspaper Thursday.
“The risk is to lose control once again over Amazon deforestation, which was decreasing,” he added. Provisional government figures, released on a monthly basis, showed deforestation rose about 30 percent in the 10 months until May.
Source: Japan Times

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Et si le Ministère de l'Ecologie portait la poisse ?

Et si le Ministère de l'Ecologie portait la poisse ?
Depuis la création d'un grand Ministère de l'Ecologie par Nicolas Sarkozy, tous les ministres ont quitté leur fonction contraints ou forcés. Et les femmes ont beaucoup trinqué.... Et si le Ministère de l'Ecologie portait la poisse ?
L'Ecologie ne figure pas depuis bien longtemps en bonne place dans les portefeuilles ministériels. C'est en 2002 que Roselyne Bachelot a hérité du premier vrai " Ministère de l'Ecologie et du Développement durable " sous la présidence de Jacques Chirac.
Mais c'est Nicolas Sarkozy qui a boosté l'Ecologie, grâce à la pression menée par Nicolas Hulot avec son " Pacte Ecologique ", en nommant le 18 mai 2007 Alain Juppé, ancien Premier Ministre, " Ministre d'Etat, Ministre de l'Ecologie, du Developpement Durable et de l'Aménagement du territoire " au sein du Gouvernement de François Fillon. Malheureusement, Alain Juppé n'est resté à ce poste qu'un tout petit mois. Il a dû quitter sa fonction le 18 juin 2007 après avoir perdu les élections municipales à Bordeaux...
C'est Jean-Louis Borloo qui l'a remplacé le 18 juin 2007. Il était alors " Ministre de l'Economie des Finances et de l'Emploi " depuis un mois. Mais il a été " déclassé " suite à une erreur de communication qui aurait fait perdre les élections législatives à la droite. Il avait en effet, pendant la campagne des élections législatives, émis l'idée de la création d'une TVA sociale pour réaménager la fiscalité et celle-ci a été très mal perçue par les électeurs. Il a alors été rétrogradé et nommé " Ministre d'Etat, Ministre de l'Ecologie, de l'Energie, du Développement, et de l'Aménagement durable ". Mais en 2010, Jean-Louis Borloo a de nouveau fauté. Il a mis le feu au gaz de schiste en autorisant les premiers permis d'extraction à des grands groupes multinationaux dans l'Ardèche, l'Aveyron, la Drôme, le Gard, l'Hérault, la Lozère et le Vaucluse. Et alors qu'il espérait devenir Premier Ministre après le remaniement ministériel du 13 novembre 2010, il a été contraint de démissionner de son poste de Ministre de l'Ecologie, et du Gouvernement. Depuis il erre en politique et a créé l'Union des Démocrates et Indépendants (UDI) pour " construire les bases d'un projet à la fois durable et performant ". Et petite remarque qui en dit long : il n'y a pas une seule fois le mot écologie dans la présentation des projets de son parti... Peu être que, écoeuré, il ne veut plus en entendre parler...
Nathalie Kosciusko- Morizet, NKM, a quant à elle été nommée secrétaire d'Etat Chargée de l'Ecologie en juin 2007 aux côtés de Jean Louis Borloo. Pendant trois ans elle s'est battue pour le développement de l'éolien et du parc solaire français, la sûreté des centrales nucléaires françaises, l'interdiction de la fracturation hydraulique dans les recherches de gaz de schiste, l'interdiction des OGM... 
Mais ces combats n'ont pas plu pas à sa droite qui se rappelle qu'elle a laissé voter en avril 2009 un amendement déposé par le communiste André Chassaigne destiné à limiter la culture d'OGM. Cet amendement ne faisait pourtant que reprendre le texte formulé précédemment de manière identique par le député UMP Louis Giscard d'Estaing. Mais cela lui a valu de sévères critiques dans son parti a tel point qu'elle a du dénoncer " une armée de lâches " au sein du Gouvernement. François Fillon, Premier Ministre, aurait bien voulu alors s'en débarrasser pour manque de cohésion gouvernementale. Mais devant sa popularité il s'est contenté de lui demander des excuses.
Il a fini quand même par lui demander de quitter son poste en janvier 2009 et l'a envoyée faire un tour dans l'Economie numérique et en tant que secrétaire d'Etat chargée de la Prospective. Grâce à sa popularité, elle est parvenue néanmoins à revenir à l'Ecologie en novembre 2010 suite à la démission de Jean Louis Borloo et à prendre le poste de " Ministre de l'Ecologie , du Développement durable, des Transports et du Logement ", mais avec des responsabilités plus limitées : elle n'a pas eu le grade de Ministre d'Etat et n'a pas eu la main sur l'Energie. Elle a finalement quitté l'Ecologie pour devenir... porte parole de la campagne présidentielle de Nicolas Sarkozy...
Chantal Jouanno a quant à elle été nommée la 21 janvier 2009 à la place de NKM en tant que Secrétaire d'Etat chargée de l'Ecologie, sous la responsabilité de Jean-Louis Borloo. Elle s'est prononcée pour une écologie de droite fondée sur les nouvelles technologies et l'énergie nucléaire. Les écologistes n'ont pas vraiment apprécié. Le 14 novembre 2010 elle a été écartée du poste et nommée... Ministre des Sports.
Nicole Bricq a été nommée " Ministre de l'Ecologie, du Développement durable et de l'Energie " par François Hollande le 16 mai 2012. Et elle a reconnu qu'elle ne s'y attendait pas. Un mois et deux jours après, le 18 juin 2012 elle a été virée de son poste par François Hollande. Motif : elle avait annoncé le 13 juin 2012, qu'elle suspendait tous les permis de forages exploratoires d'hydrocarbures au large de la Guyane pour protéger la faune marine et de l'environnement ...
Et ça, ça n'a pas du tout plu aux lobbyes du pétrole ni à François Hollande. Bon prince il lui a quand même attribué le portefeuille de " Ministre du Commerce extérieur "...
Delphine Batho a remplacé au pied levé Nicole Bricq dès juin 2012. Et elle aussi, malgré quelques compétences en environnement, a été surprise d'être nommée " Ministre de l'Ecologie, du Développement Durable et de l'Energie ". Rapidement elle a cependant cru comprendre, tant on le lui avait dit et répété au Gouvernement, que la transition énergétique était importante en termes économiques, en termes d'emplois, en termes de développement durable, en termes d'indépendance de notre approvisionnement en énergie grâce aux énergies renouvelables, en termes de protection de l'environnement ... que son ministère était un ministère clé pour l'avenir. Et elle y a cru...
Mais voilà le projet de budget 2014 préparé par Jean Marc Ayrault ne va pas du tout dans ce sens. C'est même le contraire. Le budget prévisionnel 2014 pour le ministère de l'Ecologie est en baisse de 7%, soit la plus forte baisse tous ministères confondus. Alors naturellement Delphine Batho s'est un peu emportée et a dit tout haut que son budget était un " mauvais budget " car il ne lui permettrait pas d'atteindre les objectifs pourtant annoncés par François Hollande pendant sa campagne présidentielle de faire de la France " le pays de l'excellence environnementale ". Le jour même , ce mardi 2 juillet 2013 , François Hollande l'a virée... et il ne lui a pas proposé d'autre poste...
Jean-Marc Ayrault qui n'avait pas obtenu le soutien de Delphine Batho pour son projet d'aéroport de Notre-Dame-des-Landes, près de Nantes, doit en être bien content.
Nous souhaitons donc bon courage à Philippe Martin , nommé dès hier " Ministre de l'Ecologie , du Développement Durable et de l'Energie ". Et qu'il n'oublie pas que François Hollande et Jean Marc Ayrault sont des écologistes " honteux " qui au-delà des discours donnent le sentiment de ne pas y croire vraiment. Ils voudraient bien arrêter le nucléaire, mais... à part, peut être, la fermeture de la centrale de Fessenheim..., interdire définitivement l'exploration et l'exploitation des gaz de schiste, mais ..., interdire les cultures OGM, mais ... réduire les émissions de CO2 pour limiter le réchauffement climatique, mais ... Soutenir la transition agro-écologique, une transition indispensable et majeure allant vers plus de bio, défendue avec ténacité par Stéphane Le Foll, mais ... Soutenir le développement des énergies renouvelables, mais ...
Mais Philippe Martin a su montrer qu'il savait se battre, concrètement, pour défendre ses convictions écologiques. Combien de temps va-t-il tenir ?
Christina Vieira

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Floresta flutuante nasce em navio abandonado

Floresta flutuante nasce em navio abandonado
A baía de Homebush, localizada na região de Sidney, Austrália, serviu como uma espécie de cemitério para navios fora de operação. Barcos como um SS Ayrfield, de 1.140 toneladas construído em 1911, fizeram sua última navegação para lá onde foram desmontados. Vários de seus componentes ainda puderam ser reaproveitados, no entanto, as carcaças permaneceram no local por anos.
A ação do tempo e da natureza fizeram com que verdadeiras florestas crescessem dentro desses navios abandonados que flutuam na baía. Depois de operar na Segunda Guerra, o SS Ayrfield ganhou esse final poético – uma espécie de redenção.
Outro navio utilizado na mesma guerra, o SS Mortlake Bank, construído entre 1924 e 1934, teve o mesmo destino. Fotógrafos preferem clicar o SS Ayrfield pois o acesso a ele é mais fácil.
Mais imagens no Blog do GESP

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Resolução 457: os 89 que votaram a favor

Resolução 457: os 89 que 
votaram a favor 
Em 29 de junho de 2013, o Fauna News publicou “Resolução 457: apenas uma entidade foi contra em votação no Conama”, em que divulgou o voto da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Essa teria sido a única, das 90 entidades que participaram da 110ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), em 22 de maio de 2013, a votar contra a Resolução 457.
O Conama informou que a Frente Nacional de Prefeitos estava inabilitada a votar, pois seus representantes haviam estourado o limite de faltas em reuniões do Conselho. Embora não tenha votado, a entidade posicionou-se contra a aprovação da Resolução 457.


Aves apreendidas em Feira de Santana (BA)
Foto: Washington Nery/Secom

O Conama é o órgão consultivo e deliberativo do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama), com grande poder de decisão sobre a gestão ambiental do Brasil. Ele é composto por 107 entidades com direito a voto, representantes de cinco setores: órgãos federais, estaduais e municipais, setor empresarial e sociedade civil (ambientalistas, trabalhadores e população tradicional).


De acordo com a Resolução 457, no caso de o poder público não conseguir  “vagas” em suas instituições (tipo Cetas – Centro de Triagem de Animais Silvestres), zoológicos ou entidades semelhantes para receber os animais apreendidos (anfíbios, répteis, aves, e mamíferos), passou a ser possível a elaboração dos termos de depósito de Animal Silvestre e o Preliminar, isto é, o bicho poderá ficar com o infrator (criador ilegal).


Está aberto o precedente do "ilegal tornar-se legal".

Agora chegou a vez de conhecer quem votou a favor da Resolução 457.

Presidente do Conama e ministra do Meio Ambiente - Izabella Teixeira
Entidades civis e de trabalhadores:
- Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES)
- Associação de Defesa do Meio Ambiente (Ademasp) – indicado pelo Presidente da República
- Comunidade Científica (votou representante do INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)
- Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag)
- Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil
- Instituto Brasil Central
- Sociedade Nordestina de Ecologia (SNE)
- Associação Andiroba
- Associação SOS Amazônia
- Instituto Guaicuy SOS Rio das Velhas
- Projeto Mira-Serra
- Sócios da Natureza
- Associação de Proteção ao Meio Ambiente de Cianorte
- Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam)
- Fundação Brasileira para Conservação da Natureza (FBCN)
- Fundação de Proteção ao Meio Ambiente e Ecoturismo do Estado do Piauí (Funpapi)

Entidades empresariais:
- Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)
- Confederação Nacional da Indústria (CNI) - com três votos
- Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo - com dois votos

- Confederação Nacional do Transporte
- Setor Florestal (o titular é da Associação Brasileira de Produtores de Florestal Plantadas)

Entidades representantes dos Municípios:
- Confederação Nacional dos Municípios
- Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Nacional)
- Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Região Cetro-Oeste)
- Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Região Nordeste)
- Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Região Sul)

Estados:
- Governo do Distrito Federal
- Governo de Alagoas
- Governo do Amapá
- Governo da Bahia
- Governo do Ceará
- Governo de Goiás
- Governo do Maranhão
- Governo do Mato Grosso
- Governo do Mato Grosso do Sul
- Governo de Minas Gerais
- Governo do Paraná
- Governo da Paraíba
- Governo do Pará
- Governo de Pernambuco
- Governo do Piauí
- Governo do Rio de Janeiro
- Governo do Rio Grande do Sul
- Governo de Rondônia
- Governo de Roraima
 - Governo de Santa Catarina
- Governo de Sergipe
- Governo de Tocantins

Governo Federal:
- Agência Nacional de Águas (ANA)
- Casa Civil da Presidência da República
- Comando da Aeronáutica
- Comando da Marinha
- Comando do Exército
- Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República
- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama)
- Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
- Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
- Ministério das Cidades
- Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
- Ministério das Comunicações
- Ministério da Cultura
- Ministério da Defesa
- Ministério do Desenvolvimento Agrário
- Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
- Ministério da Educação
- Ministério do Esporte
- Ministério da Fazenda
- Ministério da Integração Nacional
- Ministério da Justiça
- Ministério do Meio Ambiente
- Ministério de Minas e Energia
- Ministério da Pesca e Aquicultura
- Ministério do Planejamento. Orçamento e Gestão
- Ministério das Relações Exteriores
- Ministério da Saúde
- Ministério do Trabalho e Emprego
- Ministério dos Transportes
- Ministério do Turismo
- Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República
- Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
- Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República
- Secretaria dos Portos da Presidência da República
- Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República
- Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República
- Secretaria Geral da Presidência da República

- Conheça a Resolução 457
Releia os posts do Fauna News:
 

- “Guarda provisória de animais silvestres: atestando a incompetência do poder público”, publicado em 24 de maio de 2013  
- "Conama alivia a falta de estrutura do poder público legalizando o tráfico de animais", publicado em 27 de junho de 2013 
- "Resolução 457: apenas uma entidade foi contra em votação do Conama", publicado em  29 de junho de 2013