sábado, 16 de fevereiro de 2013

Cortes de árvores no Gasômetro estão suspensos até audiência do MP

Cortes de árvores no Gasômetro estão suspensos até audiência do MP
Encontro na Câmara de Vereadores foi marcado por críticas de ambientalistas à prefeitura 
Em um encontro marcado pelas críticas de ambientalistas ao prefeito José Fortunati e ao secretário do Meio Ambiente (Smam), Luiz Fernando Zachia, pela retirada de árvores no entorno do da Usina do Gasômetro para a duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) da Câmara de Vereadores de Porto Alegre anunciou que os cortes das árvores estão suspensos até que sejam realizadas a audiência pública no Ministério Público Estadual (MPE). O debate está marcado para 19 de fevereiro, às 11h30min. No mesmo dia, uma reunião de trabalho com técnicos ocorrerá no Legislativo da Capital, às 9h.
Depois de quase quatro horas de discussão, o líder do governo, Airto Ferronato, anunciou que o prefeito José Fortunati decidiu manter a suspensão dos cortes até que ocorram os encontros. A vice-presidente da Cosmam, Jussara Cony, informou também que uma audiência pública será convocada para os próximos dias para que todas as partes interessadas possam participar dos debates.
Protestos
A audiência pública desta quinta ocorreu sob gritos de “Fora Záchia” e “Queremos árvores”. Caio Lustosa, ex-secretário da Smam no governo Olívio Dutra, considerou arbitrário ato da prefeitura de cortar as árvores sem ouvir a comunidade. “Podiam buscar um alternativa com arquitetos e realizar um projeto sem a necessidade da retirada de árvores”, comentou. Para Eloísa Agra Hassen, aposentada da Justiça Federal e ciclista, disse que Porto Alegre está voltada para mega empreendimentos e esqueceu da inclusão social. “Não vamos deixar o prefeito Fortunatizar as árvores de Porto Alegre. Queremos espaços públicos para o cidadão porto-alegrense”, acrescentou.
A duplicação da Edvaldo Pereira Paiva, conforme a prefeitura, resultou no corte de14 árvores em frente ao Gasômetro. O projeto prevê, ainda, a derrubada de outros 115 altos vegetais na região. O alargamento da avenida faz parte do projeto viário para a Copa de 2014.
Záchia explicou que os técnicos da secretaria obedeceram todos os trâmites legais depois que receberam os estudos de impactos ambientais. “A Smam fez todos os trâmites obrigatórios e transparentes para conceder licenças. Se não foi feita uma audiência pública, isso não é de competência da Smam. Ela está licenciando para uma obra do poder público. Foi feito estudo de impacto ambiental”, disse, depois de acrescentar que a nova Edvaldo Pereira Paiva terá 2 mil mudas de árvores.
Imagens: Naian Meneghetti
Fonte: Correio do Povo/Rádio Guaíba

Nenhum comentário: