sábado, 5 de maio de 2012

Mãe Terra recebe sua Filha


Mãe Terra recebe sua Filha
A mãe Terra recebeu em seu corpo, no retorno natural de nossa curta existência neste planeta, uma de suas mais queridas e generosas filhas. 
Em 04 de maio de 2012, a poucos dias, quando lembraremos os dez anos da passagem de José Lutzemberger (14/05/2002), foi entregue à mesma terra que nos concebeu seres humanos, o corpo da ambientalista ativista pelos direitos sociais, indígenas e ambientais, a senhora Hilda Zimmermann, 89 anos.
Nascida em 25 de abril de 1923, esta ativista militou e aderiu todas as causas que julgava serem úteis à sociedade e as pessoas, fossem elas crianças de rua, índios ou a natureza que ela ensinou ser ‘patrimônio’ a ser cuidado por todos.
Hilda, após oito décadas de vida devotada as causas, continuava participativa e militante, fazendo parte de Mesas de Autoridades, como na Fundação do MoGDeMA/RS, no ano de 2008, ou nas ruas em 2010 aproximando-se do Partido Verde no período em que Marina Silva esteve na sigla.
Foi uma ‘sonhática’, como muitos tantos, quase 20 milhões de brasileiros que sabem que nosso progresso só ocorrerá quando a palavra “desenvolvimento sustentável” deixar de ser usada como um chavão na boca dos mesmos neoliberais de sempre e ‘ecologistas’ de ocasião, quando muitos pintam seus produtos de ‘verdes’ ou querem imitar algo que não se aprende na escola normal, mas sim na escola ‘dos sábios e da vida. ’
Quando o ‘desenvolvimento sustentável’ na prática seja cultura e não obrigação ‘da moda’, quem sabe se descortinará um mundo melhor que acreditamos irá existir.
Ela, como sábia que era, mesmo em avançada jornada na defesa da causa ambiental no planeta, ainda estava atenta aos fatos e mantinha seu dedo em riste e fala motivadora, quando acusava com enorme propriedade o descaso e abandono dos parques estaduais e reservas de proteção ambientais pelos Governos que se sucederam no poder por décadas, sem que o meio ambiente estivesse nas prioridades públicas e políticas de Estado.
Naquela ‘mesa de honra’ na fundação do MoGDeMA/RS, estavam presentes homens e mulheres que somadas suas idades, tínhamos em nossa frente mais de ‘um milênio’ de conhecimento e sabedoria.
E o que hoje demanda nos movimentos ambientais no Brasil, senão, justamente aquilo que nossos mestres nos ensinaram: conhecimento, sabedoria e uma ousadia peculiar que só existe naqueles que não possuem apenas coragem, mas desconhecem o ‘medo’ quando se defrontam com a injustiça e o atentado aos bens coletivos da natureza e da sociedade.
Quando se fala nos pioneiros, devemos primeiramente conhecer suas histórias e atos em prol de um mundo que almejamos, mas que observamos, como eles observaram o quanto a sociedade ainda caminha para o lado oposto daquilo que não só acreditamos, mas sentimos e sofremos, como sente e sofre o planeta, a Mãe Terra que nos selecionou entre milhões para sermos seus filhos diletos e presentes na sua proteção.
A ambientalista ativista, Hilda Zimmermann, a partir deste dia 04 de maio de 2012, data de sua entrega, repousa na terra do Cemitério Evangélico, em Porto Alegre.
Por Julio Wandam
Ambientalista
Os Verdes de Tapes/RS
GTCOM/REDE Os Verdes/RS
Membro RAARS - Brasil

Nenhum comentário: