quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O GAVIÃO E O GUARDA PARQUE

Buteo Albicaudatos 
O GAVIÃO E O GUARDA PARQUE
Certo dia estava em patrulha no Parque Estadual de Itapuã, no Rio Grande do Sul, quando avistei embaixo de um eucalipto, um gavião. Pedi a câmera fotográfica há meu colega para registrar ave tão majestosa. Mas, quando desci para fotografá-la ela não vou. Então notei que estava ferida no peito.
Nesta hora, nestes momentos, em que o Guarda Parque encontra um individuo da fauna ferido, nasce uma grande duvida.
AJUDAR OU NÃO AJUDAR?
Se ajudar estará interferindo no ciclo natural das coisas. Se ajudar condenando aquele que alimentaria a si e sua prole, com tão fácil presa. Se não ajudar estará condenando tal animal. É uma decisão difícil, mas que só você deve tomá-la.
Já que estamos falando de uma vida.
Eu decidi intervir!
Mas como intervir?
Tenho um veterinário?
Quem é este individuo?
De qual família?
O que come?
O quanto come?
Quando come?
Como não domesticá-lo?
Como tratá-lo, sem prendê-lo? 

Vista do Parque Estadual de Itapuã/RS
Foi uma luta nesta ultima semana, mas teve resultado. O ferimento cicatrizou, voltou a voar, e está cada vez menos dependente do complemento energético dado por mim. O mundo cientifico, que me desculpe, mas meu lado HUMANO falou mais alto. Não sei se voltará a ser totalmente selvagem novamente.
Mas sei que estará VIVO. 
Por Daniel Fredriksson 
Fonte: REDE Os Verdes/Via Facebook

4 comentários:

Leon CSV. disse...

Fez bem!

patricia disse...

e isso ai pé de pomba .

patricia disse...

e isso ai pé de pomba .

patricia disse...

nese pouco tenpo de amizade pude ver que para min amizades verdadeiras existem vocÊ e a cris SÃO amigos que são poucos no mundo se un dia nos separarmos por motivos torpis saiba a amizade prevalesera entendo você por estar de fora vejo com outros olhos as coisas. mas nen senpre saimos vencedores.. mas vocÊ é um vencedor e a naturesa agradese..beijos na cris ....