quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Novo Hamburgo em direção a despoluição visual

Imagens: Arquivo Os Verdes-Mikonga/Internet
Novo Hamburgo na direção da despoluição visual
Em Audiência Pública na cidade de Novo Hanburgo, sobre a Utilização de Veículos Publicitários na Paisagem Urbana realizada na segunda feira (26/10), no Salão de Atos do Centro Administrativo Leopoldo Petry, conseguiu reunir integrantes das empresas de publicidade, comércio, arquitetos, engenheiros, associação cultural , ambientalistas além dos representantes dos poderes Executivo e Legislativo da cidade.
O evento era de grande importância para o desenvolvimento sustentável do Rio Grande do Sul.
A referência mais importante sobre a regulamentação da propaganda na paisagem urbana foram as promovidas pela cidade de São Paulo que transformou a capital paulista, valorizando a arquitetura e humanizando a cidade.
Aqui no RS, a cidade de Novo Hamburgo por ser uma das pioneiras em nosso Estado, podendo se tornar uma referência em política de despoluição visual e de valorização das áreas urbanas. Com isso, poderá ser desencadeando um efeito cascata positivo, influenciando outras cidades do RS.
Durante a audiência, manifestei meu ponto de vista, pois sou publicitário, ambientalista, militante ativista de Os Verdes do RS.
Apesar de estar entre a 'cruz e a espada', já venho me preparando, pois participo de feiras do seguimento publicitário a vários anos em São Paulo. Acompanhei de perto a transformação da capital paulista e também os efeitos do seguimento diretamente atingido. (Todos que trabalham com mídia externa).
No início houve uma manifestação forte dos publicitários e Cia.
Em uma ocasião teve até um dos descontentes que tentou agredir o Prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.
Mas tudo tomou rumo, os painéis tiveram que seguir uma proporcionalidade em relação ao prédio, mesmos os grandes bancos e multinacionais tiveram que se adaptar a legislação com isso a cidade que estava escondida apareceu para os paulistas.
Ao perguntar para uma taxista sua opinião, ele me respondeu; "– Sabe não tem mais aquela foto da Gisele, que servia como referência para chegar a um ponto da cidade".
Na feira deste ano falei com uma empresária que produz mídia externa no Rio de Janeiro e ela me falou que as impressoras de grandes formatos de São Paulo migraram para Rio.
A última avaliação que obtive do setor em SP é que a mídia impressa, como jornais e revistas ganharam mais espaços no mercado. Além é claro da indispensável internet.
A redução dos impressos em lonas, com certeza reduziu significativamente a produção de lixo, pois estas lonas duram no máximo 2 anos isso se ficarem em uma posição geográfica favorável em relação ao sol. Se não duram no máximo um ano ou menos. Isto se não ocorrer um temporal para rasgá-las, tendo que serem substituídas. Muito pouco é reciclado, sendo sua maioria lixo, um problema para a sociedade e futuras gerações.
A iniciativa do prefeito de Novo Hamburgo, Tarcisio Zimmermann será discutida por representantes da sociedade e se tudo se encaminhar bem no início de 2010 o Vale do Sinos terá uma referência de legislação para regulamentar as publicidades na cidade. Um avanço do ponto de vista ambiental.
Por Marco Santos – Mikonga
Verde por Natureza

Nenhum comentário: