sábado, 11 de setembro de 2010

Alemanha prolonga duração média de centrais em 12 anos

 Alemanha prolonga duração média de centrais em 12 anos
As centrais nucleares alemãs deverão em média ver a sua duração de vida prolongada 12 anos, anunciou no domingo à noite o ministro do Ambiente da Alemanha, Norbert Röttgen. 
O acordo entre os parceiros da coligação conservadora/liberal (CDU/FDP) da chanceler Angela Merkel foi conseguida numa reunião que durou quase 12 horas.
As centrais mais antigas vão ter uma prorrogação de oito anos, de acordo com os dados divulgados pelo ministro, enquanto as mais recentes verão a sua duração de vida prolongada 14 anos. 
O acordo prevê igualmente que os grupos de energia que exploram estas centrais invistam uma parte dos seus ganhos suplementares que irão obter no desenvolvimento das energias renováveis.
De acordo com Röttgen, três mil milhões de euros deverá deste modo ser consagrados, por ano, às energias renováveis.
"Encontrámos em conjunto um caminho que faz avançar a Alemanha”, congratulou-se o ministro da Economia, Rainer Brüderle. 
As associações de protecção do ambiente criticaram de imediato o acordo, em particular a organização Greenpeace, assim como o partido dos Verdes, já que a maioria dos alemães são contra a energia nuclear.
Angela Merkel defendeu no final de Agosto um prolongamento de 10 a 15 anos na duração das centrais nucleares, mas surgiram vozes discordantes na coligação, pelo que a reunião de domingo teve como objectivo chegar um acordo sobre o dossier nuclear.
O encerramento progressivo das 17 centrais nucleares alemãs tinha sido programado para 2021 pela coligação formada pelos sociais-democratas e os Verdes, no poder entre 1998 e 2005.

 Fonte: Destak/Lusa
E-mail: destak@destak.pt

Nenhum comentário: