quarta-feira, 1 de setembro de 2010

US$ 4 bilhões por ano em ajuda externa para a promoção pessoal do Lula

Nada como ser um país rico!!! 
A revista "Economist" estranha  que o Brasil gaste tanto em "diplomacia de  generosidade", com países emergentes, da África e America Latina, enquanto existem enormes  bolsões de miséria no Brasil. Traduzindo: Lula  quer aparecer como pai da humanidade, torrando o  dinheiro dos brasileiros no exterior. E tome carga  tributária.
Essa gravura ilustra o texto do  Economist, que fala que Lula fala manso e carrega  um cheque em branco quando se trata de dar ajuda
US$ 4 bilhões por ano em ajuda externa para a promoção pessoal do Lula 
Lixões no Brasil - miséria brasileira
Uma reportagem publicada nessa semana  pela revista britânica “Economist” calcula que os recursos gastos pelo Brasil em ajuda humanitária e  desenvolvimento no exterior podem chegar a US$ 4  bilhões por ano. 
O cálculo, que inclui as iniciativas brasileiras de assistência técnica,  cooperação agrícola e ajuda direta a países da  África e América Latina, mostra que o Brasil "está  se tornando rapidamente um dos maiores doadores  mundiais de ajuda aos países pobres", diz a  revista.
Fome no Mundo é cultural
A reportagem chega ao montante de  US$ 4 bilhões somando os recursos da Agência  Brasileira de Cooperação, projetos de cooperação  técnica, ajuda humanitária a Gaza e ao Haiti,  recursos destinados ao programa de alimentos da  ONU e outros, e financiamentos do Banco Nacional  de Desenvolvimento, o BNDES, nos países  emergentes. 
Entretanto, a Economist vê o  que chama de "ambivalência" nos programas de ajuda  do Brasil. Lembra que o país ainda precisa  combater bolsões de pobreza dentro de seu próprio  território, aponta deficiências na estrutura  burocrática voltada para a cooperação  internacional e avalia que funcionários e  instituições voltados para este fim estão  "sobrecarregados" com o crescimento exponencial do  volume de assistência durante os anos do governo  Lula. 
Miséria no Nordeste expõe fragilidade
A revista diz que o governo  brasileiro está indo longe demais, rápido  demais.
Na desesperada busca de tentar  ganhar o Premio Nobel da Paz ou de um emprego na  ONU, Lula joga recursos que deveriam ser  destinados aos brasileiros, em outros países.
 Somos nós brasileiros que estamos bancando  a mais cara campanha para o premio Nobel da Paz da  história da  humanidade.  
Ilustração: Dave Simonds/Economist
Fonte: BBC Brasil

Nenhum comentário: