sábado, 11 de setembro de 2010

Origens da Loucura, parte 2

Origens da Loucura, parte 2 
Fala sério... o mais engraçado desse troço de blog é ter de ler de baixo pra cima pra fazer qualquer sentido. Deve ser reflexo da tal de modernidade. Mas vamos em frente.
- Este jovem vai trabalhar com as baleias!
Muitos anos depois, num dos churrascos ou galetos a que fomos juntos pelo Rio Grande afora, o “velhinho” porém energético e totalmente jovem Augusto César Cunha Carneiro não conseguiu me dar uma explicação lógica para aquele gesto profético. Mas o fato é que naquela noite ele me passou as primeiras informações que recebi na minha vida sobre a matança das baleias, que ameaçava exterminar totalmente com várias espécies desses magníficos animais, e mais: ele iluminou minha ignorância com a informação de que o massacre acontecia aqui mesmo no Brasil, praticado por uma empresa japonesa, a “COPESBRA” (fachada da Nippon Reizo Kabashiki Kaisha), instalada à sombra dos políticos corruptos e dos governos  da época no litoral da Paraíba, de onde navios japoneses com comandante e arpoador japonês partiam para atacar várias espécies em sua área brasileira de reprodução. Àquela altura, a última baleia azul vista viva no Brasil já tinha sido exterminada, em 1965, e as demais espécies estavam indo à breca rapidamente. Carneiro me passou naquela noite os primeiros abaixo-assinados que distribuí, e com aquilo fui à rua cavar apoios para terminar com a caça à baleia no Brasil, unindo-me a um crescente número de brasileiros indignados com aquilo. 
Augusto Carneiro: aos 82 anos, o mais jovem e importante ambientalista do RS.
Carneiro teria ao longo de toda a minha (e da sua admirável e produtiva) vida uma influência vital, ao mesmo tempo informativa – pelas literalmente centenas de livros que pôs à minha disposição - e ideológica. Foi dele que herdei a intolerância com os corruptos, a intransigência com os depredadores da Natureza, a noção de santidade dos parques e áreas naturais protegidas, o amor às árvores e, last but not least, a língua bífida e a noção de que ser desbocado, agressivo e franco é essencial à militância ambientalista. Se bem que as circunstâncias dos meus caminhos mais recentes tenham me obrigado a moderar os desaforos, o espírito de Augusto Carneiro, que felizmente ainda está bem vivo e lutando pela Natureza enquanto escrevo, me alimenta diariamente em todas as batalhas. 
Artigo original publicado em 2005 

NOTA DE OS VERDES:
José Truda Palazzo Júnior é um dos importantes ambientalistas brasileiros, defensor ferrenho da vida das baleias na costa brasileira. Augusto Carneiro é a pessoa que junto a José Lutzemberger  mudaram o rumo da história do Brasil frente a degradação ambiental. Não fossem eles militarem de forma "louca" contra o desenvolvimento "louco" que crescia de forma absurda no Estado, hoje não teríamos nem mesmo o MEG para acreditar que podemos fazer algo. Mas com intransigência se preciso for, com palavras de ordem e batita de tambor, para mostrar aos fariseus da política que não podemos permitir mais degradação ambiental e menos qualidade de vida para dar lugar a voracidade capitalista que explora nossa água, nossa terra, nosso ar e nosso clima, destruindo todos os bens ambientais necessários a vida das comunidades. O Movimento Ecológico Gaúcho precisa retomar as lutas de outrora para manter a honra daqueles que lutaram antes de nós. Que se levante o MEG com menos burocracia e mais ativismo contra aqueles que destróem a Terra!

Nenhum comentário: