sexta-feira, 28 de maio de 2010

Relação entre Bogotá e Brasília não deve mudar após eleições na Colômbia

Os principais candidatos às eleições colombianas Juan Manuel Santos e Antanas Mockus (Foto: AFP)
Relação entre Bogotá e Brasília não deve mudar após eleições na Colômbia 
As relações entre Brasil e Colômbia não devem apresentar mudanças radicais após as eleições presidenciais colombianas, marcadas para o próximo domingo (30).
Segundo analistas consultados por VEJA.com, os dois candidatos favoritos, Juan Manuel Santos (Partido Social da Unidade Nacional) e Antanas Mockus (Partido Verde), se eleitos, vão manter a bem-sucedida política de Álvaro Uribe de combate às guerrilhas, especialmente às Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc).
Por isso, os laços com os Estados Unidos - que financiam o combate ao narcotráfico - e com os países da América Latina - que criticam a aproximação com os americanos - tendem a permanecer como estão hoje. 
A disputa eleitoral na Colômbia se tornou mais acirrada nos últimos meses, quando o candidato do Partido Verde passou de azarão, com menos de 1% dos votos, a favorito. A última pesquisa de intenção de votos, divulgada uma semana antes das eleições, mostra empate técnico entre Santos (34%) e Mockus (32%), que devem ir para o segundo turno, no dia 20 de junho.
O candidato do PV, que já foi prefeito de Bogotá por duas vezes (1995 a 1997 e 2001 a 2003), é matemático, filósofo e conhecido pela personalidade excêntrica. Já o representante do atual governo, Juan Manuel Santos, tem um perfil mais conservador. Ex-ministro da Defesa de Álvaro Uribe, ele é considerado o herdeiro político do presidente, que deixa o poder com mais de 70% de aprovação. 
Fonte: Veja.Com

Nenhum comentário: