sexta-feira, 30 de abril de 2010

Carta com pedido de socorro contra lixão da Camélia em Tapes

Aos Verdes de Tapes/Via e-mail
Boa tarde, sou neta da Jardelina Viegas da Silva, dona do sitio onde está localizado o lixão da Camélia.
Hoje 20.04.2010 enquanto olhava umas fotos que o meu tio tirou da placa da fepam que está localizada na entrada do sitio, eu percebi uma coisa estranha no numero da licença da operação, o numero é 2048/2005, eu estranhei, já que normalmente se fazem uma vistoria no ano de 2010  por exemplo, o numero do ano deve ser o mesmo, pelo que eu sabia, então resolvi pesquisar.
Liguei para a fepam e falei com Daiane engenheira química, e contei pra ela um resumo da história, ela me disse que normalmente a licença tem validade de 4 (quatro) anos, ou seja, essa licença venceria em 2009, caso a prefeitura entrasse com um pedido de revisão da licença até uma mês antes da validade, eles estariam dentro da lei. Ela me disse também que a prefeitura recebeu um auto de infração (acho que é assim que se diz), e um pedido de interdição do local, mas nada foi feito.
Gostaria, se possível, que vocês fizessem algo para que a prefeitura não ganhe essa causa!
Obrigado.

Atenciosamente
Renata Silva Braga
Guaíba/RS

Nota de Os Verdes:
O Caso do Lixão da Camélia já extrapola os 27 anos de existência, onde uma área de importância ambiental convive com uma realidade de agressão por parte de administrações que marcaram no tempo a incompetência para o gerenciamento dos resíduos sólidos.
A carta da jovem Renata reflete o que há anos se diz as autoridades de Tapes, e mesmo assim, com mais incompetentes políticos a frente do problema, com um COMPEMA que não está vigilante à sua obrigação e as sanções cabíveis em caso de omissão, com a justiça aguardando não se sabe o quê para fechar o lugar, Os Verdes desde 1997 até hoje manifestam seu ativismo e argumentos pelo fechamento daquela vergonha chamada lixão da Camélia.
Em 2008 perdeu-se por força da "justiça" de ser fechado aquele depósito à céu aberto próximo a mananciais de água e natureza.
Quanto a Placa referida em sua carta, lamentamos dizer mas é um grande engôdo aquela identificação, pois inexiste algum processo referente "a renovação de L.O." deste município, a não ser o processo que é de 2006, já vencido e expirado o prazo para renovação cerca de quatro anos atrás, em 27 de julho daquele ano (imagem acima).
Mais uma vez o problema do Lixão da Camélia aumenta, agora com Placas que não condizem com a verdade.
Saiba mais sobre o assunto, click aqui
Fonte: REDE Os Verdes

Um comentário:

Julio Stelmach disse...

Alô Meu Xará Julio. Nós Acadêmicos da UERGS, apoiamos o seu protesto, acreditamos que as medidas competentes já foram tomadas. Além do Ministério Público, sugerimos enviarem um levantamento do local com analises e relatórios feitos por acadêmicos da UERGS-Unidadde Tapes para protocolar na FEPAM(POA)como forma de oficializar e prescionar as autoridades competentes. Pós protocolo anexar a o processo no M.Público. Sugiro contato com a Uergs. Abraços. Julio Stelmach