terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Abelhas podem ser viciadas em "café e cigarros"

Abelhas podem ser viciadas em "café e cigarros"
As abelhas não são muito diferentes de algumas pessoas que não conseguem começar o dia sem uma xícara de café e um cigarro. Uma pesquisa da Universidade de Haifa, de Israel, revelou que esses insetos preferem néctar com pequenas quantidades de nicotina e cafeína ao néctar puro.
O néctar da flor é composto principalmente de vários tipos de açúcar, que fornecem energia para as abelhas. Mas o néctar da flor de algumas espécies de plantas também possui pequenas quantidades de substâncias tóxicas, como a cafeína e a nicotina. Os cientistas resolveram descobrir "se essas substâncias tinham sido 'feitas' para atrair as abelhas ou se eram apenas subprodutos sem um papel definido", explicou o chefe da pesquisa, o professor Ido Izhaki.
Na natureza, a nicotina é encontrada no néctar floral de alguns tipos de árvore de tabaco enquanto a cafeína aparece em flores cítricas, principalmente na toranja (grapefruit).
Para examinar se as abelhas preferem o néctar com cafeína e nicotina, os pesquisadores ofereceram néctar artificial contendo vários níveis de açúcar natural e vários níveis de cafeína e nicotina, junto com uma porção de néctar “limpo” só com açúcar.
As concentrações de cafeína e a nicotina variaram dos níveis naturais encontrados no néctar floral até concentrações muito mais altas do que as encontradas na natureza. Os resultados revelaram que as abelhas preferiram o néctar com os mais altos níveis de nicotina e cafeína.
De acordo com os pesquisadores, é difícil determinar com certeza se as substâncias viciantes presentes no néctar se tornaram presentes ao longo do tempo para tornar a polinização mais eficiente.

Mas, a partir do estudo, os cientistas concluíram que as plantas que sobreviveram ao tempo são aquelas que desenvolveram níveis “corretos” dessas substâncias viciantes.
O que permitiu a elas atrair e não repelir as abelhas, dando-lhes uma maior vantagem sobre as outras plantas.
Os pesquisadores disseram que o estudo provou a preferência, não o vício, e que agora estão estudando se as abelhas se tornaram mesmo viciadas em nicotina e cafeína.
Fonte: Portal R7
Em Rede: Ambiente Brasil

Nenhum comentário: