sábado, 20 de fevereiro de 2010

Temporal na Madeira provocou dezenas de mortos, feridos e desalojados

Temporal na Madeira provocou dezenas de mortos, feridos e desalojados

32 mortos confirmados e 68 feridos
Trinta e duas vítimas mortais confirmados pelo Governo Regional, 68 feridos internados no Hospital Dr. Nélio Mendonça, dezenas de carros arrastados, inúmeras inundações em casas, lojas e grandes edifícios públicos. É este o actual balanço do temporal que atinge o arquipélago da Madeira desde a madrugada de sábado.
O presidente da Câmara do Funchal, Miguel Albuquerque, informou que as situações mais graves ocorreram nas zonas altas do concelho do Funchal e, também, no concelho da Ribeira Brava.

No Serviço de Urgências do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, deram entrada, até às 17h00, 68 feridos, dois dos quais em estado grave que foram sujeitos a intervenções cirúrgicas, de acordo com o responsável clínico da instituição.

Pedro Ramos, o director clínico e o Presidente do Serviço de Saúde da Madeira, Miguel Ferreira e Almada Cardoso, fizeram o primeiro balanço da situação.

Estes responsáveis garantiram que existe um plano de resposta hospitalar para emergências externas com vítimas que abrange diversos níveis e que "foram todos activados".

"Temos neste momento 63 pessoas que deram entrada no serviço de Urgências com os mais variadíssimos problemas e que obrigou o Hospital a activar todos os níveis de resposta à catástrofe", disse Pedro Ramos.

Destes casos, "apenas duas situações merecem a atenção do bloco operatório, da especialidade de ortopedia e que estão em condições de serem submetidas à intervenção cirúrgica de que necessitam".

No que diz respeito aos feridos, "alguns casos são de hipotermia, pessoas que ficaram soterradas ou foram arrastadas nas enxurradas, pequenas feridas, a maior parte são situações de baixo risco que só vão ficar até domingo por questão de segurança e é difícil regressarem aos seus lares", de acordo com aquele responsável clínico.

"A situação está toda controlada, as equipas de intervenção do Bloco e várias especialidades, todos os colegas, responderam ao apelo de virem para o Hospital e estão de prevenção", garantiu Miguel Ferreira.

As equipas de enfermagem estão super-reforçadas e o pessoal de todos os sectores deram um "apoio excepcional para uma eventualidade de socorro", acrescentou.
Fonte: RTP/Destake/DN

Nenhum comentário: