.

.

sábado, 19 de junho de 2010

Ilha de Marajó/PA: Início da Expedição Villas-Bôas pelo Brasil

Ilha de Marajó/PA: Início da Expedição Villas-Bôas pelo Brasil
A primeira fase da primeira etapa do projeto Expedição Villas-Bôas começará na Ilha de Marajó - PA no início do ano de 2011.
A Organização da expedição está convidando ongs, oscips, universidades, profissionais e voluntários  em diversos segmentos socioambientais  para comporem nossa equipe de expedicionários desta 1ª fase. 
A Ilha de Marajó, que possui o título de maior ilha fluviomarinha do mundo, uma ilha de grandes proporções e importância ambiental é quase desconhecida da população brasileira, é cercada pela foz dos rios Amazonas e Tocantins e boa parte de seu território passa o ano todo debaixo da água. 
Faz parte da Amazonia Legal e sua extensão insular de 60.000km2 abriga uma população com um dos menores IDH (índice de desenvolvimento humano) do Brasil. 
Novas leis ambientais promoveram o desemprego de mais de 11 mil pessoas que se somaram às que já se encontravam abaixo da linha de pobreza, resultando num grande número de  pessoas carentes de água potável, saneamento básico, segurança, identidade social, cultura formativa, saúde, renda e esperança. 
A Fundação Villas-Bôas, idealizadora e executora do projeto, pretende executar projetos investigativos e pontuais através de um esforço conjunto, conscientizando, informando, desenvolvendo opções de fontes de renda, formando multiplicadores, com base no desenvolvimento sustentável e no tripé social-econômico-ambiental. 
Venha fazer parte dessa equipe!
 Nota de Os Verdes:
A REDE Os Verdes do RS é parceira desde 15 de novembro de 2008 da Fundação Villas-Bôas pelo Brasil. Da mesma forma que na Ilha de Marajó, quando da vinda da Expedição ao Rio Grande do Sul, estaremos organizando a visita do grupo a outras entidades, escolas, projetos eco-sociais em andamento e a realidade socio-econômica ambiental de nosso Estado será apresentada para a pesquisa desta expedição.

Um comentário:

C.Cristina disse...

Para complementar o texto do nosso presidente Paulo Celso Villas Bôas, gostaria de acrescentar que ja haviam em Marajo cerca de 30mil pessoas abaixo da linha de pobreza, apos o fechamento das 2 madeireiras da região, foram demitidas mais 11mil. Este ilha hoje conta portanto com 41mil pessoas abaixo da linha de pobreza...Se faz urgente uma conscientização nacional e apoio à essa gente, fazemos parte do mesmo Brasil e é inadmissivel que percamos a capacidade de nos indignarmos diante dessa situação.