sexta-feira, 16 de julho de 2010

Água: Patrimônio e Direito da Humanidade

Bolívia apresenta a ONU proposta para que água seja declarada direito humano
O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou na segunda (12/07) que seu governo apresentou nas Nações Unidas um projeto de resolução para que o acesso à água seja um direito humano.
Em entrevista coletiva no Palácio de Governo, Morales ressaltou que o direito à vida, incluído na carta de Direitos Humanos da ONU, “é impossível” sem a água.
“Meu pedido aos presidentes e aos governos dos cinco continentes que são parte das Nações Unidas é que aprovem a água como direito humano”, disse.
O líder lembrou que a Constituição de seu país, promulgada no ano passado, já considera o acesso à água um direito da população boliviana, e agora espera que se faça o mesmo no organismo internacional.
Segundo Morales, isso ajudaria a cumprir com os Objetivos do Milênio para o ano 2015, entre os quais se encontra a dotação de água potável e saneamento em todo o mundo.
“Seria totalmente contraditório para as Nações Unidas dizer que aprova como objetivo dotar o mundo de água potável e saneamento e não declarar a água um direito humano”, declarou.
Morales fez uma chamada aos movimentos sociais para que pressionem os governos “que não querem debater”.
“Se a água continuar sendo um negócio privado, é uma forma de prejudicar os direitos humanos e por isso deve haver uma resolução para declarar a água um direito humano no mundo todo. (…) Em alguns países, infelizmente, ela está como um direito e negócio privado, quando deveria ser de serviço público.”
Morales explicou que por causa da mudança climática, a falta de água afeta cada vez mais o mundo.
“Sem água não podemos viver, estamos trabalhando para que a água seja declarada um direito humano”, concluiu.
Fonte: Folha.com

Nenhum comentário: