domingo, 4 de julho de 2010

Haitianos resistem a doação de transgênicos

AJUDA CONTROVERSA
Haitianos resistem a doação de transgênicos 
O Haiti, país atingido em janeiro por um terremoto que matou mais de 250 mil pessoas e deixou 1,3 milhão de desabrigados, vive uma controvérsia. A ajuda que a multinacional Monsanto oferece, de 475 toneladas de sementes transgênicas, está sendo rejeitada por agricultores locais e colocou o governo em uma saia justa. 
Por um lado, os haitianos querem amenizar a fome. Por outro, protestam contra a transgenia. Milhares de agricultores fizeram manifestações em junho, com palavras de ordem contra a Monsanto e o presidente haitiano, René Préval, acusado de “vender o país” a uma multinacional. Sementes híbridas de milho foram queimadas. 
O jornal francês Le Monde conta que a polêmica tomou corpo quando, em 10 de maio, o padre britânico Jean-Yves Urfié, que lecionou química no Collège Saint Martial, de Porto Príncipe, criticou a doação. O ministro haitiano da Agricultura, Joanas Gué, disse ter tomado precauções antes de aceitar as sementes. Mesmo com esse esclarecimento, cerca de 10 organizações agrícolas continuaram com a ofensiva contra o “cálice envenenado”. 
– As doações são um ataque contra nossa biodiversidade – argumentou o agricultor Chavannes Jean-Baptiste. 
– Fizemos uma doação ao povo do Haiti, e os agricultores são livres para utilizar as sementes que melhor lhe convierem – retrucou Darren Wallis, porta-voz da Monsanto, que reclamou do fato de países desenvolvidos usarem sementes orgânicas, enquanto as transgênicas, segundo ele, são enviadas para os subdesenvolvidos. 
Foi no Fórum Mundial de Davos que a Monsanto decidiu doar sementes no valor de R$ 7,2 milhões. Duas cargas, com 130 toneladas, chegaram ao Haiti. As 345 toneladas restantes serão enviadas nos próximos 12 meses. A Monsanto sustenta que doação semelhante, feita ao Maláui, em 2006, quintuplicou a produção local. 
Fonte: Zero Hora 
Leia mais: Camponeses Marcham contra a Monsanto no Haiti

Nenhum comentário: