quinta-feira, 8 de julho de 2010

Comunismo teórico X Comunismo prático

 Comunismo teórico X Comunismo prático
Uma característica interessante do comunismo baseado nas idéias de Karl Marx é que os exemplos históricos que foram inspirados nele, fogem e muito da doutrina original teórica. Os defensores do marxismo utilizam sempre este argumento e não podemos negar que estão certos. Regimes como a URSS, China e Cuba não são comunistas, basta ler os livros marxistas e constataremos que isso é verdade. 
 Basicamente ainda não existiu o comunismo de verdade na prática, porque segundo Marx, o proletariado deve fazer uma revolução, acabar com a propriedade privada produtora (qualquer tipo de empresa ou terra produtiva privada), e instaurar o que ele chamou de "Ditadura do Proletariado", onde todos os meios de produção seriam coletivizados, não existiria mais donos de empresa, elas seriam administradas pelos próprios trabalhadores. 
Quando a tal "Ditadura do Proletariado" concluísse todos os seus objetivos, dentre os quais o principal seria o fim da propriedade privada dos meios de produção, todas as pessoas não teriam mais ambições individuais egoístas, porque ninguém mais reconheceria nem aceitaria a existência de uma empresa privada, então não haveria mais motivo para existir nenhum tipo de governo. Com isso, os próprios dirigentes do "governo comunista" decretariam o seu fim, e aí chegaria o verdadeiro comunismo, um ambiente onda toda a produção é coletivizada e não existe nenhum tipo de governo ou Estado. 
No mundo vislumbrado por Marx, não existiria mais divisões de classes sociais, e todos teriam acesso a tudo, nem o comércio precisaria mais existir pois todos poderiam adquirir qualquer tipo de produto para satisfazer suas necessidades sem ter que pagar por eles, pois a produção seria de toda a comunidade. Não existiria mais patrão e todos os trabalhadores poderiam trabalhar a hora que quisessem, no horaário que quisessem. Resumindo, viveríamos num ambiente muito próximo de um verdadeiro paraíso. 
Mas será que esta ideologia que insiste em seduzir tantas pessoas até hoje, pode realmente dar certo na prática? Em todos os países onde tentaram aplicá-la, só houve 2 destinos: ou a revolução fracassou em pouco tempo, como a Comuna de Paris, ou se tornou num regime totalitário com uma nova divisão de classes, onde os governantes monopolizavam os meios de produção, detinham a maior parte da riqueza e exploravam os trabalhadores, como no caso da URSS. 
A verdade é que a forma de aplicação do comunismo proposta por Marx simplesmente é impossível de dar certo em sua forma original, e isso por uma série de fatores lógicos: 
* Para abolir a propriedade privada à força, os trabalhadores teriam que realizar verdadeiras guerras civis, como realmente aconteceu nos países onde se instaurou uma revolução comunista. Guerras civis geram uma grande desordem, que por sua vez gera governos fortes e autoritários, que têm que usar a força para restaurar a ordem, daí a origem dos governos socialistas totalitários, como a URSS. E mesmo aonde alega-se que não houve governo, como na Comuna de Paris, na prática houve sim, pois ocorreram intervenções na economia, mídia, etc...tal como acontece em qualquer governo.
 * Uma vez no poder, os ditadores ou grupos de dirigentes, nunca irão querer abdicar de seu poder, e inventarão uma série de desculpas para justificar isso, como: "A manutenção do Estado Comunista é necessária para garantir os feitos da revolução e o bem coletivo". E na prática apenas substituiu-se um governo por outro ainda mais autoritário e desigualitário, porque o regime socialista monopoliza todos os meios de produção (o Estado é dono de todas as empresas). 
* Sem livre mercado, não há como fazer o cálculo dos preços de cada produto, ou seja, os dirigentes do Estado é que decidem a quantidade de cada produto a ser produzida e a qual preço eles devem ser vendidos. Qualquer que seja a teoria que esses dirigentes utilizem, o preço de cada produto sempre estará errado, porque não foi definido com base na oferta X demanda. O resultado a longo prazo é sempre igual: desequilíbrio entre produção X consumo, e...crise econômica!
    * Numa sociedade comunista de verdade (sem um governo), não haveria como impedir o surgimento da propriedade privada produtiva, pois as pessoas poderiam criar empresas dentro de suas propriedades privadas não produtivas. Empresas inovadoras como Apple, Microsoft e Google, por exemplo, surgiram dentro de casa! 
Não estou querendo dizer que a idéia das comunas de Marx é totalmente inválida, estou questionando aqui principalmente a sua forma de aplicação. Será que compensa querer aplicá-la através da força, através de revoluções e verdadeiras guerras civis, gerando um saldo de milhões de mortos? Num ambiente libertário, os trabalhadores teriam total liberdade para ocupar propriedades desocupadas, ou até mesmo comprar propriedades privadas e criarem comunas, onde o meio de produção seria coletivizado. Desta forma a tal revolução comunista seria iniciada sem a necessidade de guerras e mortes. 
Se as comunas se tornassem uma proposta realmente mais eficiente que a propriedade privada, gerando melhor produção, qualidade, inovação, desenvolvimento e prosperidade a todos, com certeza elas iriam extinguir a propriedade privada de maneira natural, através da livre competição, mas por que os teóricos marxistas não propõem isso? Pelo mesmo motivo dos outros políticos: busca por poder. 
Por Sidnei Santana
Fonte: Brasil Libertário

Nenhum comentário: