.

.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Ativistas fazem protesto no TEDxVilaMadá durante palestra da Ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira

Ativistas fazem protesto no TEDxVilaMadá durante palestra da Ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira 
Ativistas do Movimento Brasil pelas Florestas e da ONG Veddas se uniram em ação para demonstrar repúdio à política sócioambiental brasileira.
Nessa quinta-feira, dia 29 de novembro, numa manifestação pacífica e silenciosa, ativistas do Movimento Brasil pelas Florestas, da ONG Veddas e ativistas independentes interviram durante a palestra da Ministra do Meio Ambiente Izabella Teixira.
O ato ocorreu no evento TEDxVilaMadá, visando denunciar os retrocessos da política sócioambiental brasileira, especificamente a aprovação do Novo Código Florestal que beneficia desmatadores e a construçao da megahidrelétrica de Belo Monte à um alto custo financeiro e sócioambiental.
No começo da palestra os ativistas, com cartazes e em silêncio, se dirijram ao palco exibindo suas mensagens ao lado da ministra e de frente para o público. O evento foi transmitido ao vivo e a organização do TEDx demonstrou preocupação com a manifestação, mas em nenhum momento impediu o ato pacífico.
O tema dessa edição do TEDx foi “Nosso Planeta Água” o que influenciou a confecção dos cartazes de protesto: “Barrar rios é barrar a vida #PareBeloMonte”, “Sem florestas não há água #NãoaoNovoCódigoFlorestal” e “Nossos bosques tem mais vida com o Novo Código Florestal?” foram algumas das frases nos cartazes.
A palestra foi interrompida com a presença silenciosa dos manifestantes e após 21 minutos de impasse os ativistas fizeram uso do microfone e denunciaram os retrocessos da política socioambiental brasileira. “Servidores do IBAMA foram afastados para viabilizar a construção da usina de Belo Monte” disse George Guimarães da ONG Veddas que continuou “Não houve interesse na natureza, na água ou no nosso país, na questão do código florestal houve interesse ruralista” e concluiu falando “Esse constrangimento foi uma gota da água no Rio Xingu, pois enquanto essa lavagem é feita nesse tipo de palestra o novo código florestal foi estuprado e nossas florestas serão destruídas”.
Luanda Francine, ativista autoral que se juntou à ação, contestou a legitimidade democrática na conduçao da política ambiental: “Quando houve consulta popular, onde houve democracia nesse processo todo?”
Não houve presos nem feridos, com os manifestantes se retirando pacificamente após a intervenção. O Movimento Brasil pelas Florestas e a ONG Veddas pretendem dar continuidade às suas ações de informação e denúncia sobre os retrocessos da política sócioambiental brasileira.
Assessoria de Imprensa
Marjorie Ribeiro
Fonte: REDE Os Verdes/via Facebook

2 comentários:

Hendrx disse...

o problema desse pessoal é achar que eles são a verdade, naquele lugar só tinha gente a fim de discutir a água, falar sobre sustentabilidade, a maioria do público ali apóia a causa deles, mas foram dentro do seu silêncio muito arrogantes e desprezaram a opinião das pessoas no local, assim como a bancada ruralista faz com o país há séculos. Falaram como se ninguém soubesse o que acontece no mundo. Presta atenção, aquele local com uma ministra discutindo a questão da água deveria ter sido muito melhor aproveitado.

Hendrix disse...

o problema desse pessoal é achar que eles são a verdade, naquele lugar só tinha gente a fim de discutir a água, falar sobre sustentabilidade, a maioria do público ali apóia a causa deles, mas foram dentro do seu silêncio muito arrogantes e desprezaram a opinião das pessoas no local, assim como a bancada ruralista faz com o país há séculos. Falaram como se ninguém soubesse o que acontece no mundo. Presta atenção, aquele local com uma ministra discutindo a questão da água deveria ter sido muito melhor aproveitado.