quarta-feira, 25 de julho de 2012

Atividades de defesa e conscientização marcarão Dia Internacional dos Manguezais

Atividades de defesa e conscientização marcarão Dia Internacional dos Manguezais 
Por Natasha Pitts 
As populações que sobrevivem dos mangues e que respeitam este ecossistema se reúnem mais uma vez no marco do Dia Internacional dos Manguezais – 26 de julho – para realizar ações em defesa deste patrimônio. Também serão realizados atos para conscientizar sobre a importância de se preservar os mangues evitando as podas, a contaminação e a criação industrial de camarões. 
No Equador, a Coordenadora Nacional para a Defesa do Ecossistema Manguezal (C-Condem) e a Fundação de Defesa Ecológica (Fundecol), junto a outras federações estão realizando nesta quarta (25) e quinta-feira (26) um evento de mobilização, reflexão e expressão cultura para ajudar a recuperar o mangue. O evento tem como tema "Mangues sim, camarões não. Para recuperar nossos territórios”. 
O evento contará com a participação de cerca de 300 delegados das províncias de Esmeraldas, Guayas, Manabí, Santa Elena, El Oro e Pichincha, na ilha de Muisne, em Esmeraldas, para debater a atual situação dos mangues, ecossistema considerado ‘território de vida’ dos povos ancestrais, pescadores e coletores artesanais da costa equatoriana. Além dos debates serão realizadas caminhadas, vigílias, romarias, reflorestamento do manguezal e atividades culturais. 
Em outros países contemplados com este ecossistema também serão realizadas nesta data ações de sensibilização sobre a destruição dos mangues e os impactos sócio-culturais e econômicos nas comunidades de pescadores e coletores artesanais. As campanhas buscam divulgar a importância de se recuperar e conservar os mangues, assim como estimulam as populações a denunciar a criação industrial de camarão, principal responsável pela destruição de mangues. 
As ações são necessárias, pois a situação dos manguezais em muitas regiões é delicada devido à contaminação, poda indiscriminada de plantas, aterramento de mangues para a edificação de mega-empreendimentos e criação de camarão, atitudes que causam, entre outros problemas, empobrecimento de pescadores e coletores, desalojamentos, perda da biodiversidade local e degradação ambientais.
Os mangues têm grande diversidade biológica com alta produtividade e abrigam inúmeras espécies de aves, peixes, crustáceos e moluscos. A vegetação deste ecossistema funciona como uma proteção natural contra ventos fortes, maremotos e ondas produzidas por furacões. Em países como Tailândia, Filipinas e Índia chega-se a plantar a vegetação do mangue para se prevenir estes fenômenos. 
Dia Internacional dos Manguezais 
A data faz referência a 26 de julho de 1998, dia da morte de Hayhow Daniel Nanoto, ativista do Greenpeace, originário da Micronésia (Oceania), que sofreu um ataque cardíaco enquanto participava de protestos organizados pela Fundação de Defesa Ecológica (Fundecol) e pelo Greenpeace Internacional. As ações aconteciam em Muisne (Equador) e tinham como finalidade desmontar um tanque de criação ilegal de camarões para permitir que a área de mangue se recuperasse. 
A partir de 1998, a Fundção e outras organizações passaram a comemorar o 26 de julho como dia para relembrar a luta e renovar os esforços para salvar os mangues. E o mesmo passou a ser feito por organizações, movimentos sócio-ambientais e pescadores/as de outros países que no dia 26 de julho se reuniam para fortalecer a luta pela preservação dos mangues. 
Em setembro de 2004, durante a Segunda Assembleia Geral da Redmanglar Internacional, a data foi oficialmente declarada como Dia de Defesa dos Mangues.
Fonte: ADITAL

Nenhum comentário: