sexta-feira, 6 de julho de 2012

NOTA PÚBLICA: Contra a Violência e Criminalização em Cajamarca, Peru

Companheir@s, 
Estamos coletando assinaturas para a Nota Pública, abaixo, sobre a violência e criminalização das comunidades de Cajamarca, no Peru. 
O governo peruano decretou estado de emergência nas províncias de Cajamarca, Hualgayoc e Celendín. A medida restringe o direito de reunião, a inviolabilidade da residência e a livre circulação de pessoas. No entanto, a população continua manifestando-se nas ruas. Por favor, caso queiram aderir, enviem o nome da sua organização para: atingidosvale@yahoo.com.br até amanhã, 06 de julho (sexta), às 13 horas.
O prazo é curto porque uma comissão irá entregar o documento com as adesões ao Consulado peruano, em São Paulo, na tarde de amanhã.
Seu apoio é muito importante!

Secretaria Operativa dos Atingidos pela Vale

---------------------------

Exmo. Sr. Presidente da República do Peru
Ollanta Humala
Plaza de Armas s/n, Lima – Lima 1
Perú
Tel.:   (511) 311-3900 / (511) 311-4300


Ref: Nota das Organizações e Movimentos Sociais brasileiros sobre a violência e criminalização das comunidades de Cajamarca, Peru


Exmo Sr. Presidente Humala,

Há mais de 6 meses, comunidades, organizações e movimentos sociais da região de Cajamarca, Peru, têm realizado protestos pacíficos em defesa do direito à água, que encontra-se ameaçado com a instalação do projeto de mineração Conga. Este projeto de extração de ouro tem alto impacto social e ambiental e vem sendo imposto autoritariamente e a qualquer custo pelas autoridades governamentais peruanas e empresas transnacionais (principalmente a companhia americana Newmont Mining Co).

No dia 3 de julho de 2012, a ação violenta das forças repressivas do Estado matou três homens (C.M.A, de 17 anos; Eleuterio García Rojas, de 40 anos e José Silva Sánchez, de 35 anos). No dia 5 de julho, mais duas mortes foram confirmadas (Joselito Vásquez Jambo, de 28 anos e José Antonio Sánchez Huamán, de 29 anos).

No dia de 4 de julho, o líder ambientalista Marco Arana estava sentado em um banco da Praça de Armas quando foi agredido e arbitrariamente detido pela Polícia Nacional do Peru. 

O governo peruano decretou estado de emergência nas províncias de Cajamarca, Hualgayoc e Celendín. A medida restringe o direito de reunião, a inviolabilidade da residência e a livre circulação de pessoas.  No entanto, a população continua manifestando-se nas ruas.

As organizações abaixo assinadas vêm apresentar sua solidariedade ao povo peruano e seu repúdio às ações violentas do Estado do Peru. Ao invés de criminalizar e de assassinar defensores da vida e da natureza, o Estado peruano deve protegê-los e defender seus direitos.

Nos dirigimos ao presidente Ollanta Humala e aos representantes do Estado Peruano, para requerer:

- A imediata liberação de todas as pessoas detidas nessas condições;
- Que sejam investigadas as responsabilidades pelas mortes, lesões corporais e outros possíveis crimes, além das detenções aparentemente arbitrárias;
- Que se cesse imediatamente o Estado de Emergência nas três províncias de Cajamarca, Celendín e Hualgayoc, e a perseguição policial e judicial àqueles que protestam contra o projeto da Mina Conga;
- Que se instaure imediatamente um mecanismo de diálogo oficial com a população das regiões em conflito;
- Que se tomem medidas efetivas e urgentes para que esses fatos não mais se repitam e para que todos aqueles que tiveram seus direitos violados sejam contemplados com as devidas reparações.

05 de julho de 2012.

Assinam esta nota:
Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale
Justiça Global
Justiça nos Trilhos
CSP- Conlutas
Petroquímicos do Paraná (SINDIQUÍMICA-PR)
Rede de Ativistas Ambientalistas da Região Sul - Brasil 
Movimento Ambientalista Os Verdes/RS

Nenhum comentário: