domingo, 22 de julho de 2012

Cientistas e ativistas convocam a mudar o rumo da luta contra o HIV

Cientistas e ativistas convocam a mudar o rumo da luta contra o HIV
Com um chamado global para aumentar os recursos em investigações sobre o HIV e a AIDS, garantir o acesso universal aos serviços de prevenção, tratamento e cuidado do HIV e para terminar com o estigma, a discriminação e as violações aos direitos humanos das pessoas soropositivas, cientistas, ativistas e cidadãos preocupados com a situação global da pandemia, foi emitida a Declaração de Washington, a quase duas semanas do início da XIX Conferência Internacional sobre a AIDS que será realizada nessa cidade.
Titulada "Mudando o rumo juntos. Uma Declaração para terminar com a Epidemia”, a Declaração emitida pela Sociedade Internacional de AIDS (IAS por sua sigla em inglês), a Universidade da Califórnia em São Francisco e o Comitê Organizador da XIX Conferência Internacional sobre a AIDS propõem novos pontos para melhorar as estratégias de prevenção e tratamento do HIV.
Entre eles, propõe-se aumentar os investimentos na área, assegurar a prevenção, o tratamento e a atenção do HIV baseado na evidência científica, pôr fim ao estigma, a discriminação, as sanções legais e ao abuso dos direitos humanos contra pessoas que vivem com o HIV, aumentar as análises do HIV, o assessoramento e a articulação dos serviços de prevenção, atenção e apoio, dar tratamento a todas as mulheres grávidas e em fase de amamentação que convivem com o HIV, assim como ampliar o acesso ao tratamento antirretroviral a todos os que necessitam.
Além disso, identificar, diagnosticar e tratar a tuberculose, acelerar as investigações sobre novas ferramentas para o tratamento e a prevenção do HIV, incluindo métodos inovadores como a profilaxia pré-exposição (PrEP) e os microbicidas e dar um lugar central na mobilização às comunidades afetadas.
O documento sublinha que é necessária uma cura e uma vacina para o vírus e que para isso devem ser ampliados os recursos e esforços mediante o uso das ferramentas como as que se utilizam hoje em dia para frear o número de novas infecções e melhorar a saúde das pessoas com o vírus.
Por outro lado, a Declaração exorta aos governos, aos sistemas de saúde, as organizações acadêmicas e a sociedade civil a se esforçarem para conseguir métodos multidisciplinares que respeitem e defendam os direitos humanos e a dignidade das pessoas afetadas pela pandemia.
Sobre isso, Elly Katabira, presidente da IAS, assinalou mediante um comunicado à imprensa que a humanidade está de frente com uma oportunidade única de se encaminhar ao fim da pandemia devido aos grandes avanços da ciência.
No entanto, esclareceu, a resposta global frente à AIDS enfrenta desafios financeiros e por isso, através da Declaração, pede-se aos líderes mundiais de todos os setores mundiais que apoiem com recursos essa oportunidade única para a humanidade.
Para fortalecer a proposta, os criadores da Declaração convidam a assinar o documento, cuja finalidade é ser entregue aos diversos tomadores de decisão presentes durante a XIX Conferência Internacional sobre a AIDS que acontecerá em Washington DC de 22 a 27 de julho. O texto pode ser assinado e visto na íntegra em www.dcdeclaration.org ou www.2endaids.org.
A notícia é de Notiese
Fonte: ADITAL

Nenhum comentário: