sábado, 6 de fevereiro de 2010

O Batismo de Aldo

O Batismo de Aldo
Morto como comunista, e renascido neo-ruralista, Aldo Rebelo saiu de Ribeirão Preto e pousou em Manaus hoje para uma audiência pública na capital amazonense sobre Código Florestal.
Ele explicou que, como bom católico, foi batizado na igreja quando criança, onde recebeu seu nome. Mas foi no encontro das águas do rio Negro e do Solimões, anos mais tarde, na cidade de Manaus, que ele “se batizou brasileiro”, como afirmou.

Seu sereno e previsível dirscurso dessa vez não arrancou aplausos de Moacir Micheletto, que estava mais preocupado em desfazer a imagem de censor que se criou depois dele negar a palavra para organizações presentes na última audiência. Ele gritantemente censurou o Greenpeace.

Mas as palavras do deputado Aldo certamente mereceram os rostos de satisfação dos quatro velhos ruralistas que viajam para cima e para baixo em nome da tal Comissão Especial. O discurso foi o seu “arroz com feijão”: “ONGs estrangeiras representam interesses de países europeus e dos Estados Unidos em acabar com a nossa agropecuária”.

A audiência de hoje foi calma, muito diferente da última em Ribeirão Preto. Talvez a agitação no interiror de São Paulo tenha sido o “parto” do neo-ruralista Aldo, que não perdeu o costume e veio, por meio do encontro de hoje, se batizar no encontro das águas, em Manaus.

É interessante ver como as águas negras e turvas parecem não se misturar. Mas elas se misturam.

Fonte: GreenBlog

Nenhum comentário: