quinta-feira, 25 de novembro de 2010

EFEITO TROPA DE ELITE II

 EFEITO TROPA DE ELITE II
A situação no Rio de Janeiro "já era esperada", segundo vários especialistas ouvidos pelos órgãos de imprensa e que nas últimas duas semanas cristalizaram esta opinião.
As imagens no Rio, sede de "futura" copa do mundo e olimpíada é uma incógnita, será que irão trazer para uma guerra civil, milhares de cidadãos do mundo que virão ao Brasil para os jogos e festividades? 
Tal situação não é incomum no RJ, mas também não é comum o que ocorre agora. 
Muitas pessoas assistiram Tropa de Elite II, não tive oportunidade ainda em função do trabalho, mas dezenas de amigos que assistiram recomendaram não apenas para assistir uma ficção, mas para abertura do véu que esconde a podridão no meio policial e político, que na verdade são fatores e motivos que produziram as mazelas deste Estado e no país. 
A corrupção sem limites entre o Estado e o Poder paralelo das favelas, durante décadas permitiu a gestação deste monstro que agora coloca-se em rede nacional nas televisões, para que todos os brasileiros temam a violência e acreditem que esta situação está sem controle. 
Da parte da bandidagem carioca, faz tempo, ou "demoro" como dizem para uma ação deste nível, para primeiro, reocupar territórios "invadidos" pela polícia ou pelas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), para demonstrar força e organização as tropas policiais, criando o pânico e a dúvida junto a população para atrair contra o Estado a mídia que aproveita o momento para irradiar as imagens que chocam pela extrema paisagem de guerra urbana como Kosovo, Bagdá ou Medellin. 
O uso de táticas de guerrilha nas ações dos bandidos contra alvos da sociedade, como o famoso Molotov 'versão brasileira' (garrafa PET com líquido inflamável e pano queimando na ponta), foi e é arma recorrente nas ações de defesa e ataque de facções em luta, mas isto em países conflagrados na África ou na Ásia. 
No Brasil, durante a última ditadura, os grupos armados que lutavam contra o Governo Militar utilizaram garrafas de vidro com estes "argumentos" para demonstrar força e medo na sociedade, e contra os milicos que mataram e torturaram sem piedade seus inimigos. 
No atual momento, quem é o inimigo? Apenas a bandidagem? 
A reflexão surgiu exatamente sobre 'os comentários', como disse, não vi este filme, o Tropa de Elite II, que escancarou para o Brasil e sob aplausos encerrou mais esta ficção do Cinema, onde o Cap. Nascimento, grande líder do BOPE carioca, mostra nua e cruamente a realidade e os tentáculos do sistema de corrupção e vantagens no mundo político nacional. 
As pessoas, ao saírem dos cinemas, como que acordando de um transe, começaram a ver o que ainda estava escondido sob seus olhos. Mesmo que o filme tenha sido exposto a nação antes do processo eleitoral, pouco mudou nos números da eleição. 
O que se observa agora é o nascimento (não o Capitão), de uma forma de produzir medo na população e na própria força policial desaparelhada e sucateada contra bandidos que até metralhadora  .30 e bazucas possuem para atacarem o Estado, na roupa de centenas de pais de família honestos que empunham armas para defenderem o cidadão carioca, com riscos de morte em qualquer momento, pois os bandidos atacam sem avisar e sem hora marcada no posto ou carro policial mais próximo. 
Urge refletirem as pessoas de bem deste País, sobre "aqueles" que cortaram as verbas para aparelhar e remunerar 'dignamente' os policiais no RJ e demais cidades da região durante anos, senão décadas. 
O reflexo desta situação mostra que por detrás da imagem que a TV expõe, existe uma profundidade na relação promiscua entre Polícia e Bandido, entre Bandido e Político, entre Político e Polícia. 
Tudo isso num caldo efervescente, que em dado momento explode na pressão cada vez maior da "polícia honesta" que está assumindo seu compromisso, com baixo soldo e pouco equipamento fazendo frente à uma incerteza que mostra-se organizada e comandada por gente "no asfalto", como dizem daqueles que não moram nas favelas. 
Por Júlio Wandam 

Imagens: A Tarde On line/Internet

Nenhum comentário: