domingo, 30 de outubro de 2011

Gente que não acaba mais no mundo

Gente que não acaba mais no mundo
O número cabalístico é 31 de outubro de 2011 e o local místico a Índia: neste dia um parto marcará um ponto crítico na história do planeta, que passará a ter 7 bilhões de habitantes. 
Embora a data seja apenas estimativa e o país uma probabilidade, a realidade é que o ano terminará com um novo marco em termos demográficos que promete aprofundar os desafios sociais e ambientais. 
O acontecimento traz uma oportunidade para a reflexão sobre o papel de cada pessoa e toda instituição na construção de um mundo melhor, com mais inclusão social, maior respeito aos direitos humanos e desenvolvimento mais sustentável. 
O UNFPA, Fundo de População das Nações Unidas, lançou a campanha “7 Bilhões de Ações” com o intuito de mobilizar pessoas de todo o mundo para que compartilhem suas experiências e ideias para um mundo de 7 bilhões. 
Como parte desse esforço, o UNFPA disponibilizou um perfil em português da campanha no Facebook e também promove um amplo debate em torno do tema via Twitter. 
MAIORIA POBRE 
A explosão da população mundial calculada pela ONU está relacionada a avanços médicos, vacinas mais eficientes, proliferação do uso de antibióticos e um relativo avanço no acesso à saúde, que permitiram uma elevação na expectativa de vida nos países em desenvolvimento. 
Por isto, não ocorre por acaso a escolha da Índia para representar o nascimento da pessoa que marcará os 7 bilhões de habitantes. O país de fato faz avanços na área médica. Mas, sem um controle populacional, passará a China em poucos anos em termos de população. 
A ONU ainda está convencida de que, diante das taxas de natalidade dos países em desenvolvimento, são eles os responsáveis por ter promovido a elevação da população mundial em 1 bilhão de pessoas em apenas doze anos. Em 1999, o mundo somava seus 6 bilhões de habitantes. 
A primeira vez que o planeta registrou 1 bilhão de pessoas foi em torno de 1800. Para chegar a 2 bilhões de pessoas, o mundo precisou de mais 125 anos. Apenas nos últimos 50 anos, a população mundial passou de 3 bilhões para 7 bilhões. Os números de 2011 serão duas vezes maiores que a população do planeta em 1960. 
O pico da expansão de fato ocorreu nos anos 70, quando o mundo crescia cerca de 2% ao ano. Hoje, essa taxa caiu para 1%. Mas a expansão continuará a ocorrer nos países mais pobres. 
Até 2050, o mundo terá 9,3 bilhões de pessoas, sendo que 97% do crescimento ocorrerá nas regiões mais carentes do planeta. 
Leia mais aqui

2 comentários:

Unknown disse...

Recomendo artigo interessante sobre esse assunto:

http://matasnativas.wordpress.com/2013/03/24/desenvolvimento-social-e-natalidade/

REDE Os Verdes disse...

Obrigado pelo link!