terça-feira, 5 de março de 2013

Faleceu Hugo Chávez - Comandante esteve em Tapes em 2005

Comandante Chávez solta peixes em córrego no assentamento Lagoa do Junco, em Tapes/RS - Brasil. Plantou uma árvore para simbolizar a união entre as partes
Faleceu Hugo Chávez - Comandante esteve em Tapes em 2005
Um dos líderes mais emblemáticos da América Latina, Hugo Chávez morreu em Caracas, na Venezuela. Idealizador do novo Movimento Bolivariano, resgatou a Venezuela das mãos da corrupção e do comando 'das sombras' que Governa os países e lucra com a pobreza do povo e a miséria social
Ao visitar Tapes/RS Chávez reafirmou "guerra ao latifúndio"
O presidente venezuelano Hugo Chávez reafirmou "sua guerra contra o latifúndio" ao visitar um assentamento de sem-terra brasileiros, em Lagoa do Junco, na cidade de Tapes, cerca de 120 quilômetros de Porto Alegre. Chavez veio ao Brasil em 2005 para participar do 5º Fórum Social Mundial (FSM) na capital gaúcha.
O chefe de governo venezuelano pediu aos participantes no Fórum que passem à ofensiva na batalha contra o latifúndio, dotando-se de uma estratégia de poder social. Chávez, que foi convidado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), e reafirmou a decisão de seu governo quanto ao latifúndio.
"O que nós declaramos é uma revolução agrária e a guerra contra o latifúndio é uma nova etapa da revolução agrária venezuelana", destacou.
O presidente recordou que o governo venezuelano expropriou cinco mil hectares de terras férteis no centro do país e esperava ainda recuperar naquele ano cerca de três milhões de hectares que "estão hoje sob o poder de latifundiários" disse em discurso para centenas de presentes.
Chávez defendeu que o Fórum deveria dar um novo passo e tomar a ofensiva. "Após cinco anos de existência do Fórum Social Mundial, é tempo de declararmos uma ofensiva (...). Proponho com muita modéstia o início de uma nova etapa", declarou em 2005.
Segundo Chávez, o Fórum deve adotar uma agenda para os próximos cinco ou seis anos. "É necessária uma agenda social mundial na qual possamos traçar uma estratégia, porque se trata de uma luta de poder para ver quem se impõe no final: o projeto da morte ou da vida", continuou.
Durante sua visita à colônia de Lagoa do Junco, Chávez assinou com o ministro brasileiro do desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, acordo de intercâmbio de sementes nativas entre Brasil e Venezuela. Para simbolizar o convênio, Chávez plantou uma árvore no assentamento sem-terra. 
Fonte: Pesquisa WEB

Nenhum comentário: