quinta-feira, 21 de março de 2013

Golfinhos assassinos, usados para afundar barcos, fogem do controle ucraniano

Golfinhos assassinos, usados para afundar barcos, fogem do controle ucraniano
As agência de notícias russa RIA Novosti manifestou temores de que três golfinhos assassinos ucranianos, treinados pela Marinha daquele país, tenham escapado em fevereiro de 2013. Os cetáceos fugiram durante exercícios militares no Mar Negro , numa área fora de Sevastopol, para acasalar com as fêmeas.
A divulgação da informação foi imediatamente captada por centenas de meios de comunicação ao redor do mundo. E já era sabido pela Marinha de todo o mundo que a Marinha ucraniana usaria golfinhos treinados para matar seus inimigos.
RIA Novosti informou que a URSS teria lançado um programa de treinamento dos golfinhos na Marinha em 1973. Mas o programa de treinamento dos animais estaria agora sob o controle da Ucrânia desde o fim da União Soviética. Segundo a agência, os mamíferos treinados pela missão soviética não eram apenas para identificar armas e equipamentos de combate no fundo do mar, mas também eram dotado com explosivos amarrados à cabeça. Assim eles atacavam banhistas e embarcações inimigas.
Kiev nunca reconheceu oficialmente o uso de animais assassinos, mas, depois da abertura da União Soviética, a mídia regularmente passou a questionar sobre o destino desses golfinhos treinados pela marinha soviética para combater seus inimigos. Em 2000, a BBC informou que os "golfinhos kamikaze" da URSS haviam sido vendidos para o Irã e transportados de avião para o Golfo Pérsico.
Se estiver usando animais ou não ainda hoje é difícil de provar. Mas espiões e agentes que migraram de países informaram oficialmente que o uso de cetáceos para fins militares é regularmente mencionada na imprensa oficial. Em janeiro de 2012, o almirante Tim Keating EUA, aposentado, tinha revelado que a Marinha dos EUA também fez uso de baleias dentadas durante a guerra no Iraque. A notícia foi divulgada site The Wire Atlântico .
De acordo com a Wired , a Marinha dos EUA iria testar também um programa chamado "Mark 6 Sistema de Mamíferos Marinhos". Segundo o site, os militares instalaram uma bóia para o focinho de um golfinho. Uma vez indicado ao animal o inimigo a ser atingido, o golfinho se aproximou. O golfinho se libertou da bóia com o explosivo e voltou a nado para junto do seu instrutor. A bóia permaneceu flutuando ao lado do inimigo a ser atingido.
Fonte: Ambiente Brasil

Nenhum comentário: