quinta-feira, 7 de março de 2013

Povo venezuelano acompanha o presidente Chávez

Povo venezuelano acompanha o presidente Chávez
Por volta das 11h da manhã desta quarta-feira começou o translado dos restos mortais do líder da Revolução bolivariana, Hugo Chávez Frías, partindo do Hospital Militar Doctor Arvelo rumo à Academia Militar, no Forte Tiuna, em Caracas.
O caixão coberto com a bandeira da Venezuela saiu carregado por membros da Casa Militar. Em uma ponta estava sua mãe, Elena Frías. Após as orações dirigidas por um sacerdote e acompanhadas pelo povo que se encontrava nos arredores do centro de saúde, o caixão foi colocado sobre o teto de um veículo cercado de coroas de flores.
O carro começou a rota escoltado por uma multidão e membros de sua equipe de Governo: o vice-presidente Nicolás Maduro; o ministro de Energia e Petróleo, Rafael Ramírez; o chanceler, Elías Jaua; o presidente da Assembleia Nacional (AN), Diosdado Cabello; o titular da pasta de esportes, Héctor Rodríguez; e a vice-presidenta do Parlamento, Blanca Eekhout, entre outros.
O povo lhe saúda a sua passagem com bandeiras, gritos, cantos de amor e entoando o Hino Nacional. As pessoas se abraçam e se dão as mãos enquanto escutam as interpretações da Banda Marcial e as composições do cantor do povo, Alí Primera.
Na caminhada de despedida estão também o presidente da Bolívia, Evo Morales; o governador do estado Aragua, Tareck El Aissami; a procuradora Geral da República, Cilia Flores; e a ministra para a Juventude, Maripili Hernández.
Desde os edifícios mais próximos as pessoas mostram o tricolor nacional, fotografias do líder revolucionário e o popular coração de Chávez, imagem que marcou sua mais recente campanha eleitoral em que obteve o triunfo de maneira esmagadora.
O cortejo atravessa a avenida San Martín, a praça O’Leary, a avenida Bolívar, o corredor Cólon até o corredor Los Ilustres de Los Próceres.
Fonte: Adital/AVN

2 comentários:

Marise Jalowitzki disse...

Grande Líder! Qual nação pode dizer que um presidente fez tanto, em tão pouco tempo e de forma tão efetiva, pelo povo, pelas classes sociais mais necessitadas? Edifícios dignos, com toda a mobília, em plenas condições de digna habitabilidade, perto dos centros urbanos (ou dentro deles), educação para todas as crianças, com alimentação e tudo, cursos variados, desde música até eletrônica às turras, um Ministério da Juventude (!!!) para cuidar deste segmento assolado no mundo inteiro pelas drogas (e que é o futuro de toda nação!)? Chavez se foi, infelizmente! Que o povo venezuelano possa ter condições de tocar adiante tudo o que o líder não conseguiu concluir!

REDE Os Verdes disse...

Interessante seu comentário,e reconheço como verdade toda sua avaliação. Hugo Chávez, era um problema para o sistema que ainda, aqui no Brasil, dá as cartas na economia e na política. Lá, ao fazer a reforma agrária, deu ao povo o que era do povo da Venezuela, devolveu a terra para o alimento, fez com que a riqueza do petróleo fosse investida no resgate de mais de 2 milhões de venezuelanos que conheceram a escrita e a leitura, por exemplo. E menos de década e meia, fez a verdadeira revolução socialista, que ninguém quer aceitar, existiu. Veja o post da visita de Hugo Chavéz a Tapes/RS e saiba que ele veio numa cidade-ilha cercada de latifundios e latifundiários, e discursou contra os agrodinos que ainda mantém nosso país e suas riquezas entregues aos imperialistas e sangue-sugas de sempre.
Abraços!

Julio